Mercedes CLS a cara do novo

MERCEDES CLS 350 R$ 310.000

A Mercedes, com todo seu conservadorismo, acabou chocando o mundo quando apresentou a CLS há cerca de quatro anos. Uma fusão feita com muita competência de um cupê puro com a comodidade de um sedã de quatro portas. Sua forma básica ainda faz muito sucesso junto aos designers de todo o mundo e, por isso, virou referência. E a Mercedes foi quem deu o pontapé inicial nesse jogo, que deverá ficar difícil. Concorrentes de peso como BMW e Porsche, entre outros, já anunciaram que em breve terão produtos similares. E todos sabemos que eles não brincam em serviço. A Mercedes, nesse caso, está um passo adiante, pois já está na fase de afinar os contornos iniciais de seu cupê, aperfeiçoando-o para deixá-lo ainda mais agressivo, moderno e provocante.

A nova versão traz alterações sutis nas formas. A grade agora tem duas aletas em vez das quatro anteriores; a grade inferior do pára-choque dianteiro é pintada em cinza; os espelhos externos, 32% maiores, têm LEDs nos piscas (há LEDs também nas lanternas traseiras); as rodas têm novo desenho e as saídas duplas do escape têm formato trapezoidal. No interior, o novo volante de três raios com comandos e os instrumentos do painel redesenhados chamam a atenção. O menu de navegação ficou mais fácil de operar. O objetivo foi deixar o carro mais “perto” das pessoas.


No interior, novo volante de três raios e painel de instrumentos remodelado. As borboletas para as trocas de marchas não equipavam o modelo anterior. O motor V6, aliado ao câmbio de sete marchas, entrega boa performance com um consumo moderado

Avaliamos o CLS 350, a versão de entrada da família, equipado com motor V6 3.5 de 272 cv (35,7 kgfm de torque estáveis das 2.400 às 5.000 rpm) e transmissão automática de sete marchas. Pouco para seus 1.730 kg? Não. Mesmo com essa motorização aparentemente modesta, o CLS consegue ótimos resultados de desempenho: acelera de 0 a 100 km/h em sete segundos e chega à máxima de 250 km/h. Poucos carros no mercado têm resultados tão expressivos.

A transmissão automática de sete velocidades consegue sempre achar a marcha ideal para cada situação e, graças a esse feliz “casamento” entre o motor e o câmbio e à expressiva ajuda de uma boa aerodinâmica (seu Cx é 0,30), o CLS 350 consegue até ser econômico. Dirigindo na estrada a 100/120 km/h, o CLS chega facilmente próximo dos 11 km/l. Na cidade, dependendo do trânsito, as marcas oscilam entre os 7 e 8 km/l, resultados positivos para o porte do carro.

O preço de tudo isso: R$ 310.000! Vale? Sim, cada centavo, se você procura algo perto da perfeição. Mas que é caro, isso é indiscutível.

Acima, em sentido horário, os comandos no volante, o menu de navegação, que ficou mais simples de operar, os espelhos externos, que estão maiores e com repetição do pisca por LEDs, e os botões dos programas de acerto dos bancos, localizados na porta do motorista

SHARE
Artigo anteriorSerra da Bocaina
Próximo artigoAgora, um legítimo fiat