Mil reais por cavalo

Roberto Assunção

O Jaguar XF é o modelo mais vendido da marca inglesa no Brasil. No primeiro trimestre deste ano foram comercializadas 79 unidades das versões 2.0 e 3.0 V6 e duas do XFR 5.0 V8. Agora, os fãs da marca podem comprar o XFR-S – que antes era vendido sob encomenda – pela bagatela de R$ 554.400. Como esse Jaguar tem um poderoso motor V8 5.0 supercharger de 550 cv de potência, cada cavalo sai por nada menos que100 R$ 1.008. Mas, olha, vale a pena! E por qual motivo? Bem, antes de falar das impressionantes habilidades do carro, porque seu principal concorrente, o BMW M5, é, digamos, mais convencional.


Á esquerda, o quadro de instrumentos com velocímetro marcando 300 km/h (e ele chega lá), conta-giros e câmbio no modo automático. Ao centro, a tela multimídia. Á direita, os comandos do ar-condicionado dual zone

Também com um V8, mas 4.4 biturbo de 560 cv, o M5 tem câmbio de sete marchas, custa R$ 529.950 e conquistou oito clientes em 2015. Para atrair o consumidor interessado num sedã grande e nervosíssimo, a Jaguar dotou o XFR-S de um compressor volumétrico (ou supercharger, que não tem os atrasos de aceleração do turbo), câmbio automático de oito velocidades e elementos de brutalidade dinâmica para combinar com o animal jaguar (mais conhecido no Brasil como onça-pintada). Como ele tem praticamente a mesma performance do M5, a Jaguar buscou dotar o XFR-S de traços mais brutos, um sistema de alimentação de combustível linear, maior simplicidade nos comandos e muita, muita emoção ao volante.


O interior do Jaguar XFR-S tem acabamento em carbono e alumínio, como se nas imagens

Existem apenas dois modos de direção: normal e esportiva. A esportiva endurece as suspensões e o volante, modifica o ronco do motor e deixa o carro mais arisco. O câmbio é automático com modo sequencial com trocas apenas no volante. Os números do quadro de instrumentos mudam de branco para amarelo quando o motor entra na faixa vermelha de giros (6.500 rpm), mas é preciso acelerar muito, mesmo em primeira marcha, para que isso aconteça. O controle de tração e estabilidade pode ser parcialmente desligado ou ficar totalmente fora de ação, ao gosto do motorista.


As rodas Varuna, o aerofólio de inacreditáveis R$ 43.385 e a grade

Mesmo com os controles ligados, o Jaguar XFR-S dá uma “rabeada” nas acelerações fortes em curva. A tração, claro, é traseira. Com 40 cv a mais que o XFR, o XFR-S é o mais rápido, potente e ágil sedã da história da Jaguar. Seus 69,3 kgfm de torque estão disponíveis de 2.500 a 5.500 rpm. Na prática, significa que o carro tem sempre muita força para se movimentar. O uso de fibra de carbono em algumas partes do carro, como o grande aerofólio (um opcional de R$ 43.385), deixaram o carro com apenas 3,4 kg/cv, muito firme no chão e com uma aparência demolidora.

Na cor azul (que aparece também em lindas costuras no couro do painel), ele arrebatou corações por onde passou. As exclusivas rodas de alumínio pretas de 20 polegadas, modelo Varuna, acomodaram eficientes pneus Pirelli P-Zero. Dotado de ótimo espaço interno, som Meridian, revestimento em couro de primeira, acabamento em carbono e alumínio, além de um excelente sistema multimídia, o Jaguar XFR-S traz um diferencial em relação ao seus famoso concorrente alemão: quase ninguém tem um no Brasil. Você, com certeza, vai se destacar ao volante desse bicho feroz.

—–

Ficha técnica:

Jaguar XFR-S 5.0 V8 Supercharger

Motor: 8 cilindros em V, 32V, compressor volumétrico
Cilindrada: 5000 cm3
Combustível: gasolina
Potência: 550 cv a 6.500 rpm
Torque: 69,3 kgfm de 2.500 a 5.500 rpm
Câmbio: automático sequencial, oito marchas
Tração: traseira
Direção: elétrica
Dimensões: 4,961m (c), 1,877 m (l), 1,460 m (a)
Entre-eixos: 2,909 m
Pneus: 265/35 R20 (d) e 295/30 R20 (t)
Porta-malas: 540 litros
Tanque: 69 litros
Peso: 1.875 kg0-100 km/h: 4s6
Velocidade máxima: 300 km/h
Consumo (Europa): 5,9 km/l (cidade) e 11,6 km/l (estrada)
Nota do Inmetro: não participa