Mini Clubman chega ao Brasil por R$ 179.950; confira a galeria de fotos

O Mini Clubman está completamente repaginado e sem perder a sua personalidade. Ele desembarca no Brasil já na próxima semana por R$ 179.950 para tentar atrair as atenções dos consumidores de Range Rover Evoque, Mercedes-Benz GLA, Audi Q3 e BMW X1, entre outros. Essa terceira geração do Clubman foi apresentada oficialmente no salão de Frankfurt deste ano, na Alemanha, e passou a compartilhar plataforma com o BMW Série 2 Active Tourer (o primeiro carro do fabricante bávaro dotado de tração dianteira) – anteriormente, o Clubman utilizava a base do Mini Hatch.

Uma das grandes mudanças do Clubman está nas suas dimensões maiores, com 4,253 m de comprimento, 1,800 m de largura e 1,441 m de altura. Ou seja, lado a lado com o modelo hatch de cinco portas, o novo Clubman é 27 cm mais longo, 9 cm mais largo e 3 cm mais alto. Segundo o fabricante, o Clubman é o maior modelo já produzido pela Mini, maior até que o Countryman, que mede 4,097 m de comprimento, 1,789 m de largura e 1,561 m de altura.

Essa nova carroceria permitiu a instação das verdadeiras duas portas traseiras – no Clubman antigo havia apenas uma pequena porta-lateral suicida (abertura invertida) do lado direito. O porta-malas também aumentou indo a 360 litros (82 litros a mais) ou podendo chegar a 1.250 litros com o rebatimento da segunda fileira de bancos. O acesso ao compartimento de bagagens é feito pelas duas portas traseiras. Ao todo, são seis portas. A comodidade fica pelo sistema Comfort Access. Basta passar o pé embaixo do para-choque traseiro para as portas do porta-malas se abrirem. O Comfort Acess também permite abrir as portas com a chave no bolso e já está presente no Mini Hatch John Cooper Works.     

Novo por fora, o Clubman por dentro é igual aos demais modelos da Mini. As duas novas portas traseiras facilitam o acesso ao interior e o entre-eixos de 2,670 m (10 cm a mais em relação ao Hatch de cinco portas) oferece bom espaço para as pernas dos ocupantes. Assim como no Hatch de cinco portas, a altura do túnel central tira um pouco do conforto do quinto ocupante. Entre as novidades tecnológicas, internamente o Clubman recebeu freio de estacionamento elétrico e bancos dianteiros com ajustes elétricos – o primeiro carro do fabricante com esse equipamento. Além disso, ele possui head-up display colorido, que projeta num visor acima do quadro de instrumentos informações como velocidade, dados do navegador, agenda, controle de cruzeiro dinâmico, alertas, entre outros. O pacote de luzes é um show à parte. Ao destravar as portas, o logo da Mini é projetado no chão (semelhante ao que acontece no Range Rover Evoque), além de as laterais das portas terem um acabamento com a superfície iluminada.  

O sistema de entretenimento traz tela de 8,8” e ainda oferece um HD interno com 20 GB de capacidade. Quem possui iPhone pode baixar um aplicativo para ter acesso a diversas informações. Após conectar o smartphone ao carro, o Mini Connected XL Journey informa se o combustível no tanque é suficiente para chegar ao destino e os postos de combustível na rota, previsão de chegada, condições climáticas, reconhecimento da rota preferida do motorista, auxilia ao encontrar um estacionamento, entre outras funcionalidade. Já o sistema de estacionamento automático está disponível como único acessório. Ele faz parte de um pacote que custa R$ 4.000 e que também inclui camera de ré e sensores dianteiros.    

O Clubman é oferecido no Brasil na versão Cooper S, que traz sob o capô motor 2.0 turbo de 192 cv de potência. Segundo o fabricante, futuramente haverá outras opções, como a básica com bloco tricilíndrico 1.5 turbo de 136 cv. Na Europa, há ainda configurações a diesel. O Clubman é o primeiro carro da Mini equipado com câmbio automático de oito velocidades (o mesmo do Série 2 Active Tourer feito pelo fabricante Aisin) com opção de trocas sequenciais pelas borboletas atrás do volante ou na própria alavanca. Pelo Drive Mode, o motorista pode selecionar os modos de condução Green, Mid e Sport, que alteram os parâmetros do carro para economizar combustível ou oferecer o máximo de desempenho.  E há ainda o sistema de controle de largada para quem gosta de emoção nas arrancadas.

Ao volante, o Mini Clubman oferece um desempenho com a típica “pegada” Mini. Ou seja, rápido e muito divertido de dirigir. O motor 2.0 turbo de 192 cv de potência e 28,5 kgfm de torque a partir de baixas 1.250 rpm oferece força desde os giros baixos e acende de vez a partir de 2.000 rpm proporcionando boas pitadas de esportividade. O câmbio automático de oito marchas tem bom funcionamento tanto ao passar ou reduzir as marchas. Essa caixa tem relações alongadas e ainda pode reduzir até cinco marchas dependendo da situação. Com o modo Green acionado, ao aliviar o pé do acelerador, a função Coasting engata o ponto morto do câmbio (como já acontece em alguns carros da BMW) beneficiando o gasto de combustível – junto com o sistema Start/Stop. Durante nossa avaliação em trajetos rodoviários, o computador de bordo indicou médias de 10 km/l. Rodando a 120 km/h com a oitava engatada, o ponteiro do conta-giros marca 2.000 rpm, também cooperando no silêncio interno. No entanto, incomoda um pouco o barulho de rolagem dos pneus runflat aro 18 sobre o asfalto, além de eles sacrificarem o conforto dos passageiros ao passar sobre buracos ou outras irregularidades do piso – a suspensão do Mini já é firme por natureza.

A dinâmica do Clubman é praticamente idêntica ao Mini Hatch de cinco portas. É um kart com proposta familiar e contorna as curvas oferecendo muita estabilidade e dinâmica aguçada. Contudo, não é tão rápido no gatilho nas respostas quanto um Mini Hatch devido ao Clubman ter entre-eixos maior. A suspensão pode ir de macia a firme dependendo do modo de condução escolhido pelo Drive Mode. O Clubman será oferecido com dez cores de carroceria, quatro opções de teto, quatro de interior e duas opções de cores para as rodas (prata e preto). Se o Clubman poderá roubar as atenções do Countryman? Sim. Tanto que a Mini irá reposicionar esses dois modelos. Produzido em Araquari (SC) desde outubro deste ano, o Countryman passará a ocupar uma posição inferior ao Clubman no catálogo da marca. O Countryman nacional chega às lojas do país em dezembro de 2015 por R$ 143.950 (Cooper S Top) e R$ 149.950 (Cooper S All4).

MINI CLUBMAN COOPER S

Preço básico: R$ 179.950
Carro avaliado: R$ 179.950

Mini Clubman Cooper S

Motor: 4 cilindros em linha 2.0, 16V, comando variável, válvulas continuamente variáveis, turbo, injeção direta, start-stop
Cilindrada: 1998 cm3
Combustível: gasolina
Potência: 192 cv a 5.000 rpm
Torque: 28,5 kgfm de 1.250 a 4.700 rpm
Câmbio: automático, oito marchas, trocas sequenciais
Direção: elétrica
Suspensões: McPherson (d) e multilink (t)
Freios: ventilado (d) e sólido (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,253 m (c), 1,800 m (l), 1,441 m (a)
Entre-eixos: 2,670 m
Pneus: 225/45 R18
Porta-malas: 360 litros (1.250 litros com o banco rebatido)
Tanque: 48 litros
Peso: 1.435 kg
0-100 km/h: 7s1
Velocidade máxima: 228 km/h
Consumo cidade: 14,8 km/l*
Consumo estrada: 19,6 km/l*
Nota do Inmetro: não participa
Emissão de CO2: 134 g/km*
Nota do Inmetro: não participa
Com etanol: não é flex
*na Europa

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar



NOSSO VEREDICTO
Motor
Câmbio
Desempenho
Consumo
Segurança
Equipamentos
Multimídia
Conforto
Porta-malas
Prazer ao dirigir
COMPARTILHAR
Notícia anteriorFiat lança série especial Extreme para a Strada Adventure
Próxima notíciaAs caras do Passat no Brasil