MIT ASX contra todos

Clique para ampliar

Todo mundo quer um crossover. O termo foi criado mais como um recurso de marketing do que como uma classificação técnica, mas isso, agora, pouco importa. Com posição de dirigir elevada e linhas que tentam fugir dos padrões convencionais, eles são os veículos que mais atraem os consumidores atualmente, seja aqui, seja na Europa ou na China. A procura é tanta que o lançamento do BMW X1 nos EUA, por exemplo, já foi adiado duas vezes devido à grande demanda pelo modelo em outras partes do mundo. A marca não tem carro para oferecer aos americanos.

Em nosso mercado, a novidade mais “quente” nesse segmento é o Mitsubishi ASX. Acostumado aos olhares curiosos quando estou ao volante de lançamentos, poucas vezes me senti tão observado quanto no período em que o avaliei. E não foi diferente com o Sportage, outra novidade cobiçada, que até gerou filas de espera nas concessionárias da Kia. Decidimos, então, colocar frente a frente as duas grandes estrelas do momento. O Hyundai ix35 também entraria na briga, mas a marca se recusou a cedê-lo quando soube que se tratava de um comparativo (ele compartilha plataforma, motor e câmbio com o Sportage, então as diferenças são mais estéticas). A Mitsubishi também não permitiu que o ASX fosse comparado com os rivais, mas cedeu uma unidade para avaliação, vigiada por um engenheiro. Por isso, as imagens que você vê aqui são fotomontagens.

Como o mercado não é só novidades, para a briga ficar mais completa convocamos os não tão novos VW Tiguan e Chevrolet Captiva. Apesar de já estarem há um tempo no mercado (a nova geração do Volks chega ao Brasil no segundo semestre), ambos têm argumentos para conquistar o consumidor que não quer pagar mais só para ter a última novidade na sua garagem. E a melhor escolha depende não só de quanto se deseja gastar, mas também do que se procura em um carro. Ao volante e no uso cotidiano, esses quatro modelos são mais diferentes entre si do que pode parecer a princípio.

CAPTIVA E TIGUAN SE DESTACAM QUANDO O ASSUNTO É ACABAMENTO. ASX E SPORTAGE NÃO SÃO RUINS, MAS NÃO ENCANTAM

A CESTA DE PEÇAS DA CAPTIVA CUSTA QUASE A METADE DA DOS RIVAIS. A DO ASX É A MAIS CARA

*Os preços podem apresentar variações, dependendo da concessionária consultada.

O ASX é também o que começa com o preço mais baixo. Por R$ 79.990, tem tração dianteira, câmbio manual e equipamentos básicos. Adicionando o câmbio automático, o preço sobe para R$ 86.990. Já a versão 4×4 vem mais equipada, com auxílio em subidas e descidas e sete airbags, entre outros itens (leia tabela), mas parte de R$ 96.990. Assim, a marca obriga o consumidor que não costuma se aventurar no off-road a carregar o peso extra do 4×4 para ter mimos como couro.

NA FAIXA DOS R$ 100 MIL OS QUATRO MODELOS PRATICAMENTE SE EQUIPARAM

A Kia não comete o mesmo erro. Considerando que o 4×4 é o que menos importa para o consumidor desse tipo de veículo, a marca oferece o Sportage com tração dianteira desde as versões mais simples (R$ 83.900 manual, R$ 87.900 automática) até as mais completas. Para quem deseja a tração integral, há só uma versão, por R$ 103.400 (com os mesmos itens de série da versão que você confere na tabela de equipamentos). Mas pesam contra ele o acabamento interno com plástico rígido, o freio de estacionamento acionado por pedal (todos os rivais têm acionamento elétrico por botão) e o volante com ajuste só de altura.

O Sportage tem um design ainda mais agressivo, com desenho inovador das rodas à carroceria. Se esforça para ser mais esportivo, mas seu desempenho é pouco superior ao do ASX. O motor 2.0 de 166 cv tem duplo comando variável, como no Mitsubishi, com os mesmos 20,1 kgfm de torque. O câmbio é automático de seis velocidades com trocas sequenciais na alavanca e a suspensão é mais firme. Menos confortável em ruas esburacadas, melhor nas curvas. O volante pequeno ajuda a reforçar essa sensação de esportividade, mas o motor não acompanha. Como o Mitsubishi, merecia uma versão turbo.

E aí entra o Tiguan, o verdadeiro esportivo desse comparativo. Toda a agressividade que ASX e Sportage tentam passar no visual, o Volks esconde com seu design mais sóbrio. Vendido só com tração integral, tem motor VW-Audi 2.0 turbo com 200 cv. E, mais importante, 28,5 kgfm de torque linear de 1.700 a 5.000 rpm. Além disso, tem um bom câmbio automático (vale a pena pagar mais pelas borboletas no volante opcionais) e é construído sobre a ótima plataforma do Golf VI, o que garante ótima dirigibilidade. Pelos R$ 99.990 iniciais, já oferece seis airbags e muitos outros itens de série, mas você terá que abrir mão de muitos equipamentos presentes nos rivais do mesmo valor. Por outro lado, seu acabamento interno é o melhor de todos os modelos avaliados e opcionais exclusivos, como o incrível sistema que estaciona o carro sozinho.

EM ITENS DE SÉRIE. SÓ O TIGUAN OFERECE MAIS EQUIPAMENTOS OPCIONAIS

S= Item de série / N= Item não disponível / O= Item opcional * alguns opcionais são vendidos em pacotes

Já a Captiva é, sem dúvida, a opção mais sóbria, mais pacata. Combina mais com estrada do que com cidade. É maior, mais alta e confortável que os rivais, e parte de pouco mais de R$ 90 mil com motor 2.4. Por R$ 100 mil, vem com o novo e moderno V6 3.0 (com injeção direta e duplo comando variável, mais econômico que o antigo) e tração integral. Há também uma V6 com tração dianteira.

Apesar dos 268 cv de potência e do bom câmbio automático de seis marchas, não chega a empolgar ao volante. Acelera bem e – para viajar tranquilo – segue silenciosa, com o motorzão girando baixo. Mas a direção é amortecida, embora precisa, e as suspensões, apesar de melhoradas, ainda deixam a carroceria inclinar demais. Mais racional é a 2.4, condizente com seu comportamento dinâmico e de preço menor. O acabamento não fica longe do esmero do Volkswagen Tiguan, sua lista de equipamentos é completa e ela ainda tem recursos como as redes no portamalas, ótimas para organizar as compras.

Apontadas as virtudes e defeitos de cada um desses crossovers, você já tem parâmetros para tomar a sua decisão – mas ainda é preciso considerar alguns outros fatores que aparecem depois da compra e podem pesar bastante no seu bolso. Esses crossovers são tentadores se comparados aos sedã nacionais top de linha, que custam quase o mesmo. Mas prepare-se para gastar mais na manutenção, pois as peças são consideravelmente caras (leia tabela). Nesse ponto, a mexicana Captiva leva vantagem. Seu pacote de peças custa menos da metade do que o do japonês ASX, enquanto os do alemão Tiguan e do coreano Sportage ficam no meio do caminho.

Já em relação às revisões e seguro, as diferenças não são enormes, mas o ASX tem revisões ligeiramente mais baratas e a apólice da Captiva custa um pouco menos. Já no pós-venda, Mitsubishi e Kia têm redes bem menores de concessionárias e a fabricante coreana, apesar de oferecer cinco anos de garantia total, não tem nenhum tipo de serviço de socorro mecânico ou carro reserva, por exemplo. É bom considerar tudo isso antes de fechar negócio.

ESSES CROSSOVERS SÃO TENTADORES, MAS NÃO TÊM MANUTENÇÃO BARATA

Mitsubishi ASX AWD

MOTOR quatro cilindros em linha, 2,0 litros, 16V, duplo comando variável TRANSMISSÃO automática CVT, seis marchas sequenciais virtuais, borboletas no volante, tração 4×2, 4×4 on-demand ou 4×4 DIMENSÕES comp: 4,30 m – larg: 1,77 m – alt: 1,63 m ENTRE-EIXOS 2,670 m PORTAMALAS 442 a 1.219 litros (Europa) pneus 215/60 R17 peso 1.440 kg • GASOLINA POTÊNCIA 160 cv a 6.000 rpm toRque 20,1 kgfm a 4.200 rpm VELOCIDADE MÁXIMA 188 km/h 0 – 100 km/h 11s9 CONSUMO não disponível CONSUMO REAL não disponível

Chevrolet Captiva Sport AWD

MOTOR seis cilindros em V, 3,0 litros, 24V, duplo comando variável, injeção direta TRANSMISSÃO automática sequencial, seis marchas, tração integral DIMENSÕES comp: 4,58 m – larg: 1,85 m – alt: 1,70 m ENTRE-EIXOS 2,707 m PORTAMALAS 475 a 1.575 litros (Europa) pneus 235/60 R17 peso 1.804 kg • GASOLINA POTÊNCIA 268 cv a 6.950 rpm toRque 30 kgfm a 5.100 rpm VELOCIDADE MÁXIMA 210 km/h (limitada) 0 – 100 km/h 9s5 CONSUMO cidade: 7,7 km/l – estrada: 12,1 km/l CONSUMO REAL cidade: 5,9 km/l – estrada: 8,6 km/l

VW Tiguan TSI

MOTOR quatro cilindros em linha, 2,0 litros, 16V, comando variável, injeção direta, turbo TRANSMISSÃO automática sequencial, seis marchas, tração integral DIMENSÕES comp: 4,43 m – larg: 1,81 m – alt: 1,67 m ENTRE-EIXOS 2,605 m PORTAMALAS 470 a 1.510 litros (Europa) pneus 235/55 R17 peso 1.622 kg • GASOLINA POTÊNCIA 200 cv de 5.100 a 6.200 rpm toRque 28,5 kgfm de 1.700 a 5.000 rpm VELOCIDADE MÁXIMA 207 km/h 0 – 100 km/h 8s5 CONSUMO cidade: 8,9 km/l – estrada: 12,5 km/l CONSUMO REAL cidade: 6,9 km/l – estrada: 8,9 km/l

Kia Sportage 4×2

MOTOR quatro cilindros em linha, 2,0 litros, 16V, duplo comando variável TRANSMISSÃO automática sequencial, seis marchas, tração dianteira DIMENSÕES comp: 4,45 m – larg: 1,86 m – alt: 1,64 m ENTRE-EIXOS 2,640 m PORTAMALAS 565 a 1.350 litros (Europa) pneus 235/55 R18 peso 1.500 kg • GASOLINA POTÊNCIA 166 cv a 6.200 rpm toRque 20,1 kgfm a 4.600 rpm VELOCIDADE MÁXIMA182 km/h* 0 – 100 km/h 10s6* CONSUMO não disponível CONSUMO REAL não disponível * dados da Europa – a Kia do Brasil não divulga o desempenho

TODA A ESPORTIVIDADE QUE ASX E SPORTAGE QUEREM PASSAR COM UM DESIGN AGRESSIVO O COMPORTADO TIGUAN OFERECE SOB O CAPÔ

Clique para ampliar

Os preços podem variar dependendo da concessionária – Seguros cotados pela D&G Corretora (11) 3985-3118 junto à Porto Seguro

COMPARTILHAR
Notícia anteriorO espaço que sua família merece
Próxima notíciaMotor News