Mostra Argentina

Os organizadores do Salão de Buenos Aires não têm tido muita sorte. Normalmente o evento é realizado nos anos em que não há o Salão do Automóvel de São Paulo. Mas, em 2009, a crise econômica mundial impediu que ele ocorresse. Este ano, o evento aconteceu, mas novamente atrapalhado por um imprevisto. A erupção de um vulcão no Chile impediu que a imprensa brasileira – e boa parte dos visitantes estrangeiros – comparecessem à mostra. Mesmo assim, não faltaram novidades para os fãs de carros.

Nesta quinta edição, realizada entre 17 e 26 de junho no centro de exposições La Rural, na capital argentina, o evento mostrou os principais lançamentos preparados pelas marcas para o mercado vizinho. Algumas das novidades exibidas por lá já rodam por nossas ruas, como o novo VW Passat, mas outras atraíram bastante a atenção dos brasileiros. Foi o caso da nova Ford Ranger 2012, que será fabricada lá e estreia em nosso mercado no primeiro semestre do ano que vem. Para combater a rival, a Chevrolet mostrou um conceito da picape Colorado, que substituirá a S10 e será fabricada em Taubaté (SP). Destaque também para o Cruze hatch e o sedã Cobalt, que também chegam logo ao mercado brasileiro. Além dos modelos que compartilharemos com os “hermanos”, deu para ficar com inveja dos argentinos. Outros carros, como o Volkswagen Scirocco o Ford Mondeo, serão vendidos lá, mas não aqui – pelo menos a princípio. Confira as principais novidades da mostra.

Chevrolet Colorado Rally

O conceito, desenvolvido no Centro de Design da General Motors na América do Sul, mostra como será a nossa nova S10. Apresentado na configuração cabine dupla, está equipado com motor de 2,8 litros turbodiesel e tração nas quatro rodas. As rodas são aro 18 com pneus 305/60. O Colorado tem ainda um sistema que permite elevar a altura do utilitário em cinco centímetros. Além disso, também está equipado com reboques nos para-choques.

Chevrolet Cruze

A estreia do sedã Cruze em nosso mercado está marcada para o segundo semestre deste ano. Aliás, a versão hatch chega no mesmo período, conforme adiantamos na edição 331 de outubro de 2010. Apresentado no Salão de Paris de 2010, o modelo vem para acirrar a briga de VW Golf, Fiat Bravo, Ford Focus e Hyundai i30. Sob o capô, um motor de 1.8 litro 16V Flex Ecotec. Produz 148 cv e 19 kgfm com etanol. Com a chegada do Cruze Hatch o Vectra GT sai de cena.

Chevrolet Aveo RS

O hatch apareceu na última edição de os Salão Internacional do Automóvel de São Paulo, em 2010. Agora, chegou a hora de os nossos vizinhos argentinos conhecerem as belas formas do modelo (nos EUA ele será produzido como Sonic). Aqui, o visual foi incrementado com um elaborado kit de carroceria. O desempenho não deixa a desejar. O motor Ecotec de 1.4 litro turbinado produz 138 cv. Ou seja, potência aliada à economia de combustível. O câmbio é manual de seis marchas.

Chevrolet Cobalt Concept

A versão conceito do três volumes foi apresentada oficialmente. Do porte do Astra, ela poderá ter os motores 1.4 litro e 1.8 litro Ecotec (o mesmo do Cruze). O modelo já havia sido mostrado na edição 318 de MOTOR SHOW, em junho de 2010.

Chevrolet Volt

Por enquanto, o elétrico ainda está distante dos brasileiros. Já comercializado na Europa, na China e nos EUA, utiliza um motor elétrico de 149 cv abastecido por um propulsor de 1.4 litro a gasolina com 71 cv. O resultado é um modelo que percorre 122 km somente na eletricidade ou até 544 km com o funcionamento pleno dos dois motores. Sua chegada ao Brasil ainda depende, segundo a marca, de incentivos fiscais que tornem seu preço mais atraente.

Peugeot SR1

Trata-se do primeiro esportivo criado para a Peugeot pelo novo diretor de design, Jean-Pierre Ploué. O modelo antecipa tendências futuras do estilo da marca. Mecanicamente, usa a tecnologia HYbrid4, que mescla um motor a gasolina de 218 cv e outro elétrico, com 95 cv. No interior, detalhes vintage, como alguns mostradores analógicos, se aliam a um painel futurista com recursos tecnológicos de última geração.

Peugeot 408 1.6 THP

Na Argentina, a versão do sedã começa a ser comercializada já no segundo semestre. Por aqui, também não deve demorar a chegar. Equipado com o mesmo propulsor do 3008, o 1.6 turbo proveniente da BMW (aqui com 163 cv), ele será o topo da gama 408, que hoje para na versão Griffe com motor 2.0 de 151 cv de potência. Ainda sem nome definido, seu preço ficará em torno dos R$ 85.000.

Peugeot 3008 híbrido

A versão híbrida do monovolume da marca francesa lança mão da tecnologia HYbrid4, a mesma do conceito esportivo SR1 (acima). O sistema garante alta performance com mínima emissão de poluentes (99 g/km de CO2). A média de consumo do modelo híbrido é de 26 km/l de diesel. Seu propulsor é um 2.0 de 163 cv, que, combinado com o motor elétrico, chega a uma potência total de 200 cv.

Peugeot 508

O modelo 508 é outro que, por enquanto, ficará reservado apenas aos nossos vizinhos. O sedã grande deve começar a ser vendido no mercado argentino no início do próximo ano. Para o Brasil, a marca ainda estuda a viabilidade de importá-lo da França a partir de 2012. Além do país europeu, o sedã de luxo é produzido na China para abastecer apenas o mercado local. Aqui, caso chegue, usará o motor 1.6 turbo e câmbio automático de seis marchas, o mesmo conjunto do 3008.

Fiat 500

O grande lançamento da Fiat foi o compacto 500 produzido na fábrica da Chrysler em Toluca, no México. É com esse modelo que a marca retorna ao mercado americano, além de atender os consumidores do Canadá e México. O simpático 500 apresentado em Buenos Aires estreia o motor de 1.4 litro e 16 válvulas com tecnologia Twin Air. Chega ao Brasil, em breve, com preço reposicionado, conforme publicamos na edição 336, de abril.

Nissan March

O modelo March e sua versão sedã, Sunny, foram as estrelas do estande da Nissan em Buenos Aires. O hatch, que será o mais barato japonês do Brasil, vendido por um preço inicial na faixa dos R$ 30 mil, também começa a ser vendido por lá este ano. Equipado com motores 1.0 e 1.6, o hatch está disponível para test drive durante o evento Inova Show Nissan, que percorrerá todo o Brasil (leia mais na seção Motor News) “apresentando” a linha de produtos da marca aos consumidores.

Novo New Beetle

O modelo da Volkswagen ficou mais esportivo, mas ainda remete claramente ao pequeno Fusca. Com 15,2 cm a mais no comprimento e 8,4 cm a mais na largura, perdeu o ar de carrinho de brinquedo, mas continua charmoso. Começa a ser vendido no Brasil ainda neste semestre provavelmente com motor 2.0 e câmbio automático. Para os demais mercados há ainda uma versão 2.5 a gasolina e uma 2.0 a diesel.

VW SpaceCross

A nova integrante da família aventureira da Volkswagen é a SpaceCross ou SuranCross, como será conhecida no mercado argentino. Seguindo a receita aplicada nos irmãos, a carroceria foi decorada com adereços fora de estrada que conferiram ar de robustez à station. Ao contrário do CrossFox, não exibe o estepe fixado na tampa do porta-malas. Motor Show já anunciava a criação do modelo em fevereiro de 2006, na edição 275.

Volkswagen Scirocco

A primeira geração do Scirocco foi lançada ainda nos anos 1970. Hoje, o modelo é conhecido como o “pai do Gol”. Em 2008, o cupê esportivo renasceu na plataforma do Golf VI e deu origem à nova identidade de estilo da Volkswagen. É equipado com motor 1.4 turbo de 122 cv, um 1.4 com turbo e compressor de 160 cv e, ainda, uma unidade 2.0 de 200 cv. Não deverá ser comercializado no Brasil.

Toyota FT-86

O conceito esportivo da marca japonesa é um cupê 2+2 com tração traseira e equipado com um motor boxer 2.0 de origem Subaru. Apesar de sua potência de apenas 150 cv, o modelo tem estrutura leve e um baixo centro de gravidade, o que garante uma boa performance. Oficialmente, o modelo ainda não tem data certa para ganhar as ruas.

Toyota Prius

Além da versão convencional do Prius (que já é vendida na Argentina mas ainda não deu as caras no Brasil), a Toyota mostrou ao público o conceito plug in de seu híbrido. Nessa configuração, as baterias de íon de lítio podem receber carga diretamente da tomada, permitindo ao veículo rodar por até 21 quilômetros apenas no modo elétrico, a uma velocidade de até 96 km/h.

VW Amarok

cabine simples Com o lançamento da versão mais barata, a picape média da Volkswagen começou a mostrar vendas mais expressivas no Brasil. Agora, com cabine simples e caçamba alongada suas vendas devem deslanchar de vez. A mecânica não teve alteração: motor 2.0 de 122 cv e câmbio manual de seis marchas. O modelo chega ao mercado brasileiro ainda neste semestre. Já a versão automática, ao que tudo indica, deverá ficar só para o ano que vem.

Toyota FT-EV

O modelo 100% elétrico da japonesa é a solução da marca para grandes cidades. Com menos de três metros de comprimento, ele compartilha a plataforma com o pequeno iQ e é alimentado por baterias de íons de lítio. Pode transportar quatro passageiros adultos em bancos individuais e foi pensado para atender um motorista que roda menos de 80 km por dia, por conta de sua limitada autonomia.

Ford C-MAX Energi

Apresentado ao mundo no Salão de Detroit deste ano, no mês de janeiro, o Ford C-MAX Energi será produzido junto com o Focus 2012 e sua variante elétrica na fábrica de Wayne, em Michigan (EUA). Com emissões próximas de zero, utiliza um motor elétrico alimentado por baterias de íon de lítio combinado a outro propulsor de combustão interna. O resultado desse trabalho conjunto são 800 km de autonomia. Não tem data confirmada para ser vendido no Brasil.

Ford Iosis Max Concept

O protótipo é um veículo multiuso com linhas inspiradas no padrão Kinetic Design da marca. Chama a atenção a ausência da coluna B e as portas traseiras com abertura lateral. Além disso, o motor quatro cilindros Ecoboost de 1.6 litro a gasolina tem sistema Start-Stop, que desliga momentaneamente o propulsor durante breves paradas para economizar combustível e diminuir a emissão de poluentes. Segundo a marca, o Iosis Max Concept emite 125 g/km.

Ford Start

Já conhecido dos brasileiros, o urbaninho utiliza um motor tricilíndrico de 1.0 litro com turbo e injeção direta de combustível. De acordo com a marca, o rendimento é semelhante ao de um bloco de 1.6 litro. A transmissão manual de cinco marchas foi desenvolvida para favorecer a economia de combustível. O visual exibe faróis e lanternas de LED’s e rodas de 17” com pneus de medidas 205/45.

Ford Mondeo

O sedã apareceu redesenhado. As principais mudanças estão na dianteira com nova grade, para-choque e faróis de LED’s. Além do visual revigorado, a marca aproveitou para atualizar os motores que equipam o três volumes. O bloco 2.0 Ecoboost está otimizado para gerar 237 cv. Nos propulsores a diesel, o 2.2 litros teve a sua potência aumentada para 197 cv, assim como no 2.0 litros (com 113 cv, 138 cv e 161 cv). Pela primeira vez, o Mondeo traz a transmissão Powershift de dupla embreagem.

Nova Ford Ranger

A terceira geração da picape, que mostramos na edição 311, de fevereiro de 2009, ainda não tem data oficial de chegada ao nosso mercado. Provavelmente, no início do primeiro semestre de 2012. A grande estrela do estande da marca estava equipada com um motor de 2,2 litros turbodiesel de 150 cv. Segundo a Ford, a nova Ranger 2012 poderá vir equipada também com propulsores 2.5 de 160 cv ou V6 3.2 de 200 cv.

Alfa Romeo Giulietta

O modelo da Alfa Romeo foi um dos destaques do salão portenho. Mais uma vez, o grupo Fiat não con- firma a volta da marca ao Brasil, mas nos bastidores da indústria sabe-se que esse é um desejo secreto dos executivos italianos. O hatch quatro portas, que recentemente esteve no Salão de Genebra, tem motor 1.4 turbo de 172 cv e 1.8 de 235 cv de potência (apresentado aos argentinos). Já o três portas Mito apareceu com o 1.4 T-Jet com potência de 155 cv.

Alfa Romeo 8C Spider

Estrela do estande da marca italiana e uma das vedetes do Salão de Buenos Aires, o esportivo é a versão sem capota do 8C Competizione. Com motor V8 de 4,7 litros com 450 cv, impressiona com seu desenho imponente, sofisticado e que denuncia sua alma inspirada nos Ferrari. É exemplar único do modelo na América do Sul. No salão de Frankfurt, em setembro, a marca deve apresentar uma versão de produção do 4C Spider, versão menor do esportivo.

RENAULT DUSTER

O rival do EcoSport é enfim exibido, e chega ao Brasil em novembro

Não é novidade que os SUVs caíram no gosto dos brasileiros. Entre os mais acessíveis, a Ford reina sozinha com o EcoSport. Agora, enfim, aparece o Renault Duster. Produzido em São José dos Pinhais (PR), ele chegará ao mercado em novembro como único com carroceria semelhante ao do jipinho da Ford. Para enfrentar o rival, a Renault aposta no preço. “O foco está na relação custo/ benefício. Nossa estratégia é seduzir novos consumidores”, disse Jean-Michel Jalinier, presidente da Renault do Brasil. Adaptado do romeno Dacia Duster, o SUV é construído sobre a plataforma do Sandero e do Logan, com dimensões próximas às do EcoSport. Contudo, ele oferece mais espaço para os ocupantes, graças à boa distância entre-eixos, 18 cm maior que no Ford. O porta-malas tem capacidade para 475 litros – no EcoSport são apenas 249 litros. O Renault disponibilizou duas opções de motores: o conhecido 1.6 16V flex de até 113 cv e um 2.0 de até 153 cv já usado no Fluence. Por enquanto, não haverá transmissão automática – só um manual de cinco marchas. Mas engana-se quem acha que o Duster é apenas outro pseudoaventureiro. O novo SUV também mostra aptidões para o fora de estrada, com opção de tração 4×4. Os proprietários da perua Grand Tour podem respirar aliviados, pois o Duster não a substitui, e a produção da perua não será interrompida.

COMPARTILHAR
Notícia anteriorC3 Picasso o Aircross urbano
Próxima notíciaBeleza americana