Motor News

Nissan 350Z mais POTENTE

Na edição 296 da MOTOR SHOW, de novembro passado, você conferiu nossa avaliação exclusiva, na Alemanha, do esportivo Nissan 350 Z roadster, versão conversível do belíssimo coupé japonês. Tivemos a oportunidade de acelerar a versão com novo motor, de 312 cavalos, que na época não era vendida no Brasil. Agora, a montadora começa a vender aqui o novo modelo. Além do motor mais potente, ele sofreu algumas alterações estéticas: o capô perdeu os vincos e os piscas desceram da lateral das lanternas para o pára-choque. A melhor notícia é que o preço baixou: antes vendido apenas em versão automática, por R$ 230 mil, agora custa R$ 198.803, e ainda é oferecido com câmbio manual de seis marchas, por R$ 194.903. Confira a avaliação completa na próxima edição.

No esportivo de tração traseira, novo design enovo motor, mais potente. O melhor é que ele chega mais barato que o modelo anterior

Recall disfarçado

Que o banco traseiro do Fox/CrossFox tinha um sistema que podia amputar os dedos das pessoas quando elas tentavam deslizá-lo para frente, nós já havíamos falado na edição de janeiro passado (298, CarroUsado). Agora, a VW anuncia que instalará, de graça, uma peça para evitar este tipo de acidente. Funciona como um recall – basta levar o carro a uma concessionária da marca e fazer o serviço. Embora a montadora não chame a ação de recall, claramente é disso que se trata.

“Primeiro queremos nos estabelecer com

estes produtos, mas sempre ficaremos de olho

nas possibilidades do mercado”

Sanjeev Mohoni, gerente de projetos da Mahindra, montadora indiana que está trazendo ao Brasil o SUV Scorpio (que avaliamos na edição passada) e mais dois modelos de picape, montados em Manaus em parceria com a Bramont, sobre a possibilidade de a montadora lançar no mercado brasileiro veículos de passeio – na Índia, produzem o Logan, em parceria com a Renault

O campeonato de Fórmula 1 deste ano terá duas grandes novidades. Pela primeira vez na história, uma corrida será realizada de noite: no domingo, 28 de setembro, o GP de Singapura terá início às 20h, horário local (sete ou oito da manhã no horário de Brasília, dependendo do início do horário de verão). E, também pela primeira vez na história, uma equipe da Índia participará do campeonato. A escuderia se chama Force India e terá como pilotos Giancarlo Fisichella, Adrian Sutil e Vitantonio Liuzzi. Na verdade, a nova escuderia é resultado da compra da holandesa Spyker por Vijay Mallya, dono de uma empresa aérea indiana. “A Índia é o país do críquete, porém espero que algum dia nossa nação seja também da F-1”, declarou Mallya na apresentação da equipe, que já realiza testes de pista na Espanha.

Você ficou sabendo antes Mais um carro que você viu antes na MOTOR SHOW: o sedã de luxo Hyundai Azera, que começou a ser vendido agora, mas já havíamos avaliado com exclusividade na edição 295, de outubro do ano passado. Com grande porte, muito luxo e um V6 de 240 cavalos, ele chega com preço atraente – R$ 130 mil, segundo a tabela Fipe/MOTOR SHOW. Tem mais equipamentos e preço menor que o dos principais concorrentes, GM Omega, novo Chrysler 300 C V6 e Honda Accord V6, entre outros.A exemplo do SUV Tucson, deve dar muito trabalho para a concorrência.

Mais um lançamento da Chrysler…

A Chrysler começou o ano com “sede de mercado”. O Jeep Cherokee Sport é mais um que já está nas lojas, com preço sugerido de R$ 135 mil. O novo modelo vem com modificações estéticas que propõem uma volta às linhas clássicas dos Jeep. E a marca também deu uma “caprichada” no interior, para deixá-lo mais refinado, adicionando itens de série. Segundo a Chrysler, agora também há mais espaço, tanto para bagagem quanto para passageiros.

Multas mais caras

Na edição passada, mostramos que o ministro Tarso Genro quer mais rigor no código de trânsito. Um pacote de propostas foi criado e já está sendo submetido a consulta pública (veja detalhes no site www.mj.gov.br/sal). Depois disso, vai para votação no Congresso. Confira as principais propostas:

Criminalização do excesso de velocidade Poderá ser processado criminalmente quem exceder em mais de 50 km/h o limite da via duas vezes em um período de um ano. O motorista poderá ser multado e condenado à prestação de serviços comunitários por um período de seis meses a dois anos.

Falar ao celular passa a ser infração gravíssima Atualmente a infração é considerada média (quatro pontos na carteira).Com a mudança, serão sete pontos – e a multa passará de R$ 85,13 para R$ 315. Se o motorista estiver usando fone de ouvindo enquanto fala, a infração continuará considerada média.

Menor tolerância com maus motoristas Quem somar 20 pontos na carteira de motorista terá a autorização para dirigir suspensa por um ano. Hoje, a suspensão varia de um mês a um ano, com curso obrigatório de reeducação no trânsito.

Mudança na definição de embriaguez Será considerado embriagado o motorista que tiver a partir de 3 decigramas de álcool por litro de sangue (pouco mais do que um copo de chope). Hoje, o limite é o dobro, 6 decigramas por litro de sangue.

Motos não poderão circular entre as faixas A exceção é quando os carros estiverem parados, e neste caso será permitido andar a 30 km/h.

Multas na Justiça segundo o valor do carro O juiz poderá estabelecer multas por crimes de trânsito levando em conta o modelo e o preço do veículo.

Multas passam a ser aplicadas por medida de excesso de velocidade, e não por percentual Até 20 km/h além do limite: infração grave e multa Entre 21km/h e 30 km/h: infração gravíssima e multa Entre 31km/h e 50 km/h: infração gravíssima: a penalidade passa a ser três vezes o valor da multa, além da suspensão sumária do direito de dirigir Acima de 50 km/h: infração gravíssima: penalidade de cinco vezes a multa e suspensão do direito de dirigir

Menor velocidade em rodovias sem sinalização A máxima passa de 110 km/h para 90 km/h.

Multa maior para praticantes de racha Sobe de R$ 574,62 para R$ 1.575. Para punir, não é mais necessário provar “dano potencial”.

Challenger: a volta do mito

Depois de 35 anos o lendário Dodge Challenger está de volta. A montadora finalmente mostrou a versão de produção do carro, que será fabricado no Canadá e começa a ser vendid0 nos Estados Unidos, ainda neste semestre, por US$ 37.995 (cerca de R$ 66 mil). E o mito chega, logo de cara, na versão SRT8 – sigla da divisão de carros esportivos da marca. Equipado com um V8 de 6,1 litros e 425 cv, a tração é traseira e o desempenho, embora ainda não tenha sido aferido, segundo as estimativas da marca será excepcional, com uma aceleração de 0 a 100 km/h em pouco mais de cinco segundos. Agora é só torcer para que ele seja vendido aqui no Brasil.

Quem vai ficar com a Tritec?

Desde que interrompeu as atividades em sua linha de montagem, surgiram várias especulações sobre o que aconteceria com a fábrica de motores Tritec, no Paraná. Construída pela aliança Daimler- Chrysler, que agora não existe mais, a fábrica chegou até a ser sondada por um multimilionário chinês, que queria levá-la, inteira, para a China. Agora, dizem os boatos, é a GM que está de olho na Tritec. Só restar esperar para saber quem vai levar…

Novidade da Dodge

No segundo semestre, a Dodge trará para o mercado nacional seu crossover médio, o Journey. O veículo, produzido no México, chegará ao Brasil com preço na casa dos R$ 100 mil. Seu motor 2.7 V6 é a principal novidade: feito para o mercado americano, roda com o E85 (85% álcool, 15% gasolina). Para andar só com álcool, precisaria do reservatório de gasolina para partida a frio. O mais provável é que a montadora recomende sempre colocar no mínimo 10% de gasolina no tanque.

Saudades do motor a ar

Há três anos, a Volkswagen deixou de produzir no Brasil seu famoso motor refrigerado a ar, que contava com uma legião de fãs (mas que não conseguia respeitar os novos limites de emissões de poluentes). Como forma de protesto (e homenagem), os fãs mais fanáticos realizaram o “3º Roncaço do Motor a Ar”, reunindo 400 Fusca, além de outros modelos como a Kombi, que, no dia 27 de janeiro, partiram da frente do estádio do Pacaembu e percorreram juntos diversas vias de São Paulo, incluindo a Avenida Paulista.

Fit em versão esportiva

O Honda iniciou o ano lançando mais uma versão do monovolume, cuja nova geração será lançada este ano. Trata-se do Fit 1.5 S, que recebeu alguns acessórios esportivos, como volante em couro e acabamento prateado no painel, nas portas, na alavanca de câmbio da versão automática e nas maçanetas. Com câmbio manual e motor flex, o modelo sai por R$ 54.625. Já com o câmbio automático CVT, somente a gasolina, tem preço sugerido de R$ 59.020.