Mudança de Ares

Roberto Assunção

Para muitos consumidores, os utilitários esportivos não são divertidos de guiar. Mas existem alguns SUV que transmitem uma dose “extra” de emoção ao volante. O Hyundai Santa Fe (assim mesmo, “Fê” sem acento) é um desses. O fôlego vem do novo motor V6 de 3,3 litros (da família Lambda II), que substituiu o “seis canecos” de 3,5 litros e 285 cv da geração passada. Mas então a potência caiu? Sim, caiu. Entretanto, mesmo com a cavalaria reduzida para 270 cv, o novo V6 continua mostrando disposição em acelerar. Há força em qualquer faixa de giro do motor com respostas rápidas e ágeis às solicitações do acelerador, graças também aos comandos de válvulas e de escape com variadores de fase. Também impressiona o baixíssimo nível de ruído e de vibração produzido por esse novo bloco.


Não tem como ser diferente, como já diria o filósofo popular: “Cavalo que anda é cavalo que bebe”. Para ajudar a diminuir o consumo, quando acionado o Active Eco, o comportamento do motor e da transmissão automática de seis marchas é suavizado em prol da economia. Nessa condição, pelo computador de bordo, foi possível cravar médias rodoviárias de 10 km/l. Já no anda-e-para dos congestionamentos urbanos, fizemos apenas 4,5 km/l de gasolina. Em compensação, a tração integral coopera na boa dinâmica do SUV coreano, permitindo abusar mais nas curvas. O 4×4 trabalha em conjunto com o controle de estabilidade e, em situações de baixa aderência, transfere automaticamente o torque para as rodas que estão em contato maior com o piso. Essa pegada esportiva do Santa Fe ainda é evidenciada pelo sistema de direção selecionável com os modos Comfort, Normal e Sport, que amolece ou enrijece o volante. Caso o motorista se empolgue e passe da conta, para segurança o carro traz airbags e controle de tração. Também há os convenientes assistentes de partida em rampas e em aclives.

Quem procura um utilitário esportivo está (mesmo) interessado na sua versatilidade. E nesse quesito o Santa Fe oferece uma cabine ampla, bem acabada e com atenção aos detalhes. Outro destaque do Hyundai é a posição de dirigir, assim como a completa central multimídia, com direito até a tevê digital integrada. Quem viaja atrás encontra um bom espaço para as pernas, graças à generosa distância entre-eixos de 2,70 m. Nessa versão de sete lugares, que custa R$ 155.000 (o Santa Fe também é encontrado com cinco lugares por R$ 135.000), o acesso à terceira fileira de bancos desse Hyundai é descomplicado, mas lá dois adultos não viajam muito confortavelmente, por conta do espaço bastante reduzido.

Verdade que a diferença de preço entre as versões é de R$ 20.000, mas quem opta pelos sete lugares leva a mais os airbags laterais e de cortina, bancos de couro, teto solar panorâmico, faróis direcionais de xenônio, lanternas de LED e ajustes elétricos para o assento do motorista e do passageiro. Renovado de ponta a ponta, o Santa Fe tem novas armas para enfrentar a concorrência dos revigorados Toyota RAV4, Mitsubishi Outlander e Kia Sorento.

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Baleia jubarte quase engole duas mulheres em caiaque; veja o vídeo
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

COMPARTILHAR
Notícia anteriorUm alemão com muita pimenta
Próxima notíciaFeito sob medida