Na onda dos 4×2

EMISSÃO DE CO2 N/D G/KM SEM DADOS

MITSUBISHI OUTLANDER 2.0 R$ 99.990 SUGERIDO

Uma boa parte dos compradores de SUVs e crossovers não faz questão da tração 4×4, já que usa o carro só no asfalto. O que esse consumidor busca é apenas a imagem de aventureiro. Pensando nisso, muitas marcas oferecem versões 4×2 dos seus modelos do segmento. Toyota RAV4, Honda CR-V e Chevrolet Captiva são alguns exemplos. Seguindo a tendência, a Mitsubishi lançou, em sua linha 2012, esse Outlander com tração dianteira e motor 2.0, que substituiu o antigo 2.4. Mas, diferentemente do que aconteceu com outros carros que perderam a tração integral, a montadora não diminuiu o preço do modelo, que continua em R$ 99.990 – um valor alto para o que ele oferece.

Para compensar a mudança na tração, a marca investiu em conforto e segurança. O carro agora possui seis airbags (dois dianteiros, dois laterais e dois de cortina), além de rack de teto, bancos de couro, ajuste elétrico do banco do motorista, teto solar elétrico e sensores de chuva e crepuscular. No entanto, fazem falta o sensor de estacionamento, vendido apenas como acessório, e uma entrada USB no rádio, que tem comandos no volante e entrada somente para iPod.

O novo motor dois litros possui 160 cv, dez a menos que o anterior. Com duplo comando variável de válvulas, ele garante boa disponibilidade de torque em baixas rotações e proporciona maior economia de combustível, segundo a montadora japonesa. A piora na relação peso/potência, de fato, foi pequena: ela passou de 9,2 kg/cv para 9,3 kg/cv. Na prática, o carro manteve o mesmo desempenho, que já não empolgava no modelo antigo. Com 20,1 kgfm de torque, o Outlander acelera até 100 km/h em 12,2 segundos e atinge a máxima de 180 km/h.

A transmissão do tipo CVT garante suavidade na condução. Se você busca conforto na estrada, basta usar o piloto automático. Se você procura mais esportividade, use as borboletas no volante – outra novidade. Elas são precisas e fazem a troca sequencial das seis marchas simuladas de maneira bastante rápida.

Para quem se preocupa com o risco de capotamento elevado que os carros mais altos costumam ter, o teto do Outlander é totalmente feito em alumínio, o que abaixa seu centro de gravidade e o torna mais estável. Como produto, ele sem dúvida é muito bom, mas o preço, mais alto que o da concorrência, pode prejudicar suas vendas. A Mitsubishi espera que essa versão seja responsável por 65% das vendas. Os outros 35% devem ficar para o Outlander GT, com motor 3.0 V6 e preço sugerido de R$ 124.990.

 

 

COMPARTILHAR
Notícia anteriorMotor News
Próxima notíciaRacional e econômico