Niro, um crossover que já nasceu híbrido, rouba a cena na Kia Motors

O bom gosto visual nos carros da Kia Motors é comum desde que o fabricante contratou o designer Peter Schreyer. Desde que ele acumulou os cargos de chefe de design e presidente da empresa, o visual impecável tornou-se lei na Kia. E não é diferente no Salão de São Paulo 2016, que marca a 13ª participação da Kia Motors.

São três novidades no estande da Kia: o crossover híbrido Niro, o sedã Cadenza com injeção direta e o sedã Optima com injeção direta e turbo. O estande da Kia Motors exibe também os modelos Grand Carnival, Mohave, Picanto,Quoris, Soul, Soul EV e Sorento. O presidente da Kia Motors do Brasil, José Luiz Gandini, mais uma vez reclamou da alíquota de 30 pontos adicionais no IPI. Segundo ele, isso impediu a vinda do Kia Rio, mas ele será vendido no Brasil ainda em 2017, nas versões hatch e sedã. O diretor de vendas da Kia, Ari Jorge Ribeiro, disse que além do Rio virá no futuro o novo crossover compacto da marca, do porte do Hyundai Creta.

Por causa da taxação extra no IPI, os modelos Soul EV (elétrico) e Optima Hybrid são vendidos apenas sob encomenda. O Niro ainda não está liberado para importação. O Cadenza GDI e o Optima GT ainda não têm preços definidos. A Kia não quis passar sequer uma estimativa, devido aos impostos. Só o novo Cerato, que vem do México, teve seu preço divulgado: R$ 76.990.

Segundo a Kia Motors, por se tratar da quarta maior feira de automóveis do mundo, o Salão de São Paulo servirá como “clínica” para testar a receptividade do público às tecnologias dos novos Niro, Cadenza GDI e Optima GT.

NIRO JÁ NASCEU HÍBRIDO

O Niro Hybrid faz sua estreia na América Latina durante o Salão de São Paulo. O segmento de crossovers compactos é um dos que mais crescem no mundo. O modelo é mais um introduzido pela Kia Motors EcoDynamics, e embora tenha precedentes da mobilidade ecológica, como o Kia Optima híbrido e o Kia Soul EV, é o primeiro modelo da marca montado sobre uma plataforma Eco, totalmente nova e dedicada à próximo linha de modelos verdes.

Desenvolvido nos Centros de Design da Kia em Irvine (California, EUA) e Namyang (Coreia), o Niro foi projetado com o objetivo de demonstrar aos consumidores da marca que não é preciso sacrificar um veículo envolvente ou de utilidade funcional em nome da eficiência. O Kia Niro Hybrid traz proporções esportivas de largura com teto longo e projeções curtas que lhe conferem um belo perfil. Na dianteira, o modelo tem a grade contendo a assinatura da Kia e faróis com desenhos bastante agressivos.

O interior é todo hightech. Seu painel de instrumentos é organizado e limpo, com indicadores coloridos e informativos de vanguarda. Mesmo assim, o quadro de instrumentos ficou bem estranho, para não dizer feio (uma exceção nos carros de Peter Schreyer). O espaço interior é beneficiado com os 2,7 metros de distância do entre-eixos.

As baterias de alta tensão localizadas sob os assentos traseiros, sem roubar espaço de carga e da cabine. Além de outras soluções para reduzir o ruído interno, vale citar o trabalho para solucionar problemas associados às motorizações híbridas, com a redução do ruído do sistema e vibração com a montagem do motor. Um amortecedor no cubo do volante foi inserido para reduzir as vibrações da direção.

A nova plataforma do Niro foi especificamente projetada para acomodar um único powertrain híbrido gasolina-elétrico e traz uma estrutura leve com 53% de aço de alta resistência. A redução de peso foi um aspecto importante no desenvolvimento do Kia Niro. Até o pedal do freio de estacionamento contribuiu para a economia de peso, pois foi construído de plástico reforçado com fibra. A bateria tradicional de 12 volts foi eliminada e, em seu lugar, o Kia Niro utiliza o polímero de lítio-íon de alta tensão.

O motor do Niro é o Kappa 1.6 GDI de quatro cilindros, totalmente novo e projetado especificamente para carros híbridos. Ele desenvolve 103 cv de potência. As emissões são melhoradas por meio do sistema de recuperação de calor do escape. O motor de tração de 43,6 cv trabalha em conjunto com o motor à gasolina para produzir um desempenho robusto de 146 cavalos de potência e 29 kgfm de torque. O câmbio é de seis velocidades e dupla embreagem.

CADENZA GDI

Com injeção direita, a nova versão GDI tem motor à gasolina de 3,3 litros V6 com 290 cv de potência a 6.400 rpm e torque máximo de 35 kgfm a 5.200 rpm, com transmissão automática de oito velocidades. O carro foi reestilizado. O Cadenza já estava disponível com motorização à gasolina de 3,5 litros V6 com 290 cv a 6.600 rpm e 34,5 kgfm a 5.000 rpm. A transmissão é automática de seis velocidades, com opção de trocas sequenciais e paddle shift. A versão 3.5 continua à venda.

OPTIMA GT

A Kia Motors comercializa no Brasil apenas a versão do Optima com motor Nu 4 cilindros 2.0, com 165 cavalos a 6.200 rpm e torque de 20,2 kgm a 4.600 rpm, além de transmissão automática de seis velocidades com opção de troca sequencial. No Salão de São Paulo, porém, a KIA apresenta o Optima GT. A versão esportiva tem 245 cv de potência a 6.000 rpm e 36 kgfm de torque a 1.350 rpm. O motor tem injeção direta. As principais novidades do Optima são a nova grade frontal ainda mais robusta, em relação ao modelo anterior, incorporando novo design dos faróis de neblina; a ponteira esportiva única do escapamento; lanternas traseiras maiores e mais envolventes; espelhos retrovisores externos com regulagem e rebatimento elétricos; maçanetas externas na cor do veículo com filete cromado; e rodas de liga leve aro 18.