Nissan Frontier estreia com mudanças na Europa

Quase sem novidades no visual, versão da picape média para o mercado europeu passou por mudanças no conjunto motriz, suspensão e freios

Nissan Navara (Divulgação)

Diferente da Ford Ranger 2020 vendida no Brasil, que mudou no visual e na mecânica (leia mais aqui), a Nissan Navara (como a Frontier é oferecida na Europa) acaba de estrear por lá com importantes novidades mecânicas, que não vieram acompanhadas de uma reestilização.

O motor 2.3 diesel agora conta com dois turbos em todas as versões e está disponível em dois níveis de potência: 163 e 190 cv. O propulsor ganhou novos pistões, bomba injetora com pressão mais alta, novo escape e sistema de arrefecimento. O objetivo das mudanças foi a redução no nível de emissões e no consumo de combustível.

A Nissan mexeu também na gama de transmissões. A caixa manual de seis marchas é nova e faz a sua estreia global na Europa. De acordo com a fabricante, ela tem engates mais macios, curtos e precisos. Já o câmbio automático de sete velocidades ganhou novo acerto, para melhorar o conforto nas trocas de marcha.

A picape média teve a suspensão traseira elevada em 2,5 cm na traseira e ganhou novas molas de dois estágios, que permitiram aumentar em até 114 kg a capacidade de carga do modelo. Para parar, a Nissan instalou freios a disco na traseira e trocou os discos dianteiros por peças de maior diâmetro, que contribuíram para reduzir em até 40% a força necessária para frenagem.

Na lista de equipamentos, a Navara ganhou um novo sistema multimídia, novas opções de rodas de liga leve, faróis de LED agora com máscara negra e o controle de oscilação de reboque. A Navara é produzida na Espanha para o mercado europeu. Já a Frontier vendida no Brasil é importada desde o final do ano passado da Argentina.