Nissan – Guarda Nacional

O ano de 2014 ficará marcado na história da Nissan: em abril, a marca inaugura sua primeira fábrica no Brasil. A picape Frontier e a minivan Livina, únicos modelos nacionais hoje, são feitos pela parceira Renault, apesar de a Nissan também “assinar” a fábrica de São José dos Pinhais (PR). Os demais Nissan vêm importados dos EUA e do México – com limitações de cotas. A inauguração da fábrica em Resende (RJ) marcará o lançamento do novo March – que, açém da reestilização, vai ganhar suspensões mais adaptadas ao Brasil, interior novo e mais conteúdo (partida sem chave, sistema multimídia com GPS e ar-condicionado digital). Os preços podem aumentar, mas o modelo antigo continua vindo do México como carro de entrada. Já o sedã Versa vira nacional no segundo semestre, também ganhando conteúdo. A marca ainda estuda versões automáticas dos dois modelos – quatro marchas no March e CVT no Versa.

Já em 2015, o hatch/monovolume Versa Note vem do México para brigar com o Honda Fit (mas o Livina não sai de linha). Terá preços partindo de R$ 45.000. Ainda mais interessante é o Juke, o jipinho que avaliamos na edição 364. Com motores 1.6 aspirado ou turbo, vai brigar com o EcoSport na faixa dos R$ 70.000. Ainda no mesmo ano, se o governo der incentivos aos carros elétricos, a Nissan importa dos EUA o Leaf, que  já tem unidades rodando no Brasil como táxis e carro de polícia. Preço? Dependerá dos incentivos.


Talvez ainda no fim de 2015 a marca já apresente seu novo SUV compacto nacional sim um rival para as versões de entrada de EcoSport e Duster, na faixa dos R$ 50.000. Será baseado no conceito Extrem, do Salão de São Paulo de 2012.