Nissan Kicks estreia em agosto como anti-Honda HR-V


A Nissan apresentou oficialmente seu novo crossover compacto de classe mundial. Trata-se do Kicks, criado especificamente para marcar o patrocínio do fabricante japonês aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016. O Kicks só começará a ser vendido no dia 5 de agosto, mas estreia neste dia 6 de fevereiro, em Brasília, como “carro-comando” do périplo da tocha olímpica, que percorrerá 20.000 km e passará por 328 cidades brasileiras.

Na prática, será uma fantástica ferramenta de marketing para o carro, pois no período de 95 dias ele atingirá nada menos de 95% da população brasileira. Por ser um carro estratégico para a Nissan do Brasil, o Kicks nasce de forma curiosa: sua estreia mundial será em nosso País, mas sua produção inicial começou no México, em março. O presidente da Nissan do Brasil, François Dossa, disse a MOTOR SHOW que o fabricante japonês não quis arriscar produzir um carro totalmente novo na recém-inaugurada fábrica de Resende, no Rio de Janeiro, por isso a matriz optou por iniciar a produção na planta mexicana. Toda a produção daquele país, entretanto, está sendo destinada ao Brasil.

A produção do Kicks em Resende começa no último trimestre deste ano. Segundo o chairman da Nissan, José Luis Valls, esta é a primeira vez que um veículo global da marca terá sua avant-première feita na América Latina. Ao todo, o Kicks será comercializado em 80 países. O carro é a mais nova aposta da marca que é líder mundial na venda de crossovers, graças ao sucesso dos modelos Qashqai, Juke e X-Trail.

Segundo Valls, o nicho de crossovers cresceu mais de 50% nos mercados dos Estados Unidos, Europa e China. No Brasil, o crescimento é ainda mais expressivo: em cinco anos, o aumento nas vendas passou de 200%. Atualmente, o crossover mais vendido no Brasil é o Honda HR-V, com 15.053 emplacamentos no primeiro trimestre de 2016. Ele é seguido pelo Jeep Renegade (13.238 licenciamentos), Ford EcoSport (6.131) e Renault Duster (5.229).

François Dossa disse que o Kicks vai mirar diretamente o público-alvo do Honda HR-V. Ele acredita que o carro tem potencial para vender 50.000 unidades/ano, mas não quis fazer previsões. O modelo apresentado na noite de segunda-feira na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, era da versão SL, tinha a carroceria na cor cinza, o teto em laranja, rodas de liga leve aro 17 com quatro furos e dez raios, e pneus de uso rodoviário medidas 205/55. Os freios serão a disco na dianteira e a tambor na traseira.

A Nissan não abriu informações sobre motorização, versões e preços, mas Dossa deu a entender que o Kicks atuará na mesma faixa do HR-V. O crossover da Honda tem uma versão manual de R$ 78.700 e três versões automáticas de R$ 84.900, R$ 90.600 e R$ 99.200. O Nissan Kicks apresentado estaticamente no Rio tinha câmbio automático e as seguintes medidas: 4,295 m de comprimento, 1,760 m de largura, 1,590 m de altura, 2,610 m de entre-eixos e 200 mm de altura mínima do solo. O porta-malas parece ter boa capacidade.

Produzido numa variante da plataforma V da Nissan (March e Versa), criada especialmente para o crossover, o Kicks absorveu um investimento de R$ 750 milhões. O carro é marcante, mas bonito ao vivo do que em fotos. Seus traços são ousados. Destaque para os detalhes aerodinâmicos dos faróis e das lanternas traseiras, pois ambos se sobressaem das linhas da carroceria e revelam que se trata de um design de última geração, mais até: de vanguarda. Nossa primeira percepção é de que o Kicks vai agradar pela sinuosidade de suas linhas, pela ousadia dos detalhes e pela robustez das formas.

Por dentro, o carro é espaçoso. O veículo apresentado tinha todo o acabamento em couro, combinando com a cor do teto. O painel é minimalista. O quadro de instrumentos tem apenas o velocímetro analógico. Todas as outras informações ficam do lado esquerdo, agrupadas em formato digital.

A partir de hoje, os brasileiros que acompanharem o trajeto da tocha olímpica poderão conhecer o Nissan Kicks de perto. Mas a marca ainda não definiu se haverá pré-venda do modelo.