Nissan Sentra: nem Honda, nem Toyota, mas também japonês

Roberto Assunção

Lançada em 2013, a sétima geração do Sentra acaba de se unir a Corolla e Civic no ranking dos sedãs médios mais vendidos, formando um pódio 100% japonês. Para entender por que esse Nissan se juntou aos imbatíveis Honda e Toyota, basta dar uma volta nele – e depois olhar as listas de preços e equipamentos. O Sentra é confortável e econômico, além de ter ótima relação custo-benefício. A direção é leve, as suspensões são sólidas e o espaço traseiro é enorme (como o porta-malas).

Finalmente, para quem não quer esportividade, a dirigibilidade suave agrada muito (e o motor 2.0 não decepciona quando mais solicitado). Sua linha 2016 chega agora ao mercado com poucas novidades, embora suficientes para que fique ainda mais competitivo. Houve um ligeiro aumento nos preços. Nas versões automáticas, ele é justificado pela adição dos controles de tração e de estabilidade (que o Corolla continua sem oferecer, provando que são itens ainda subestimados pelos consumidores). Mais difícil é justificar o aumento da versão S, com câmbio manual e sem ESP, para R$ 69.190 (R$ 2.100 a mais que antes).


O painel é emborrachado, o cluster tem boa leitura e a central multimídia conecta ao Facebook. O interior tem espaço de sobra (e couro claro nessa versão Unique)

Outra novidade é o sistema multimídia Nissan Connect, disponível na versão SL (R$ 82.490 ou R$ 84.490 com teto-solar) e nessa também nova configuração Unique (R$ 87.490). Ele usa o bluetooth para ligar o carro a Facebook e Google, facilitando o uso ao volante (cuidado!) e sincronizando as informações com o GPS. O série Unique traz ainda interior de couro claro, rodas 17 com design inédito, soleiras iluminadas, frisos nas portas, automatizador dos vidros e alarme com sensor de presença.

Vale destacar que já na versão básica o Sentra tem itens que os rivais oferecem só nas versões topo, como molduras de janelas cromadas, entrada e partida sem chave, volante multifuncional e lanternas e farois com LEDs (falta luz diurna). A versão SV (R$ 75.990), além do ótimo câmbio CVT, ganha ar digital bizone, bancos de couro, piloto automático e sistema multimídia. Uma das poucas críticas é em relação à posição de guiar, mais alta que a média e com ajuste do volante limitado. A visibilidade da tela central também é ruim no sol forte. Raros pontos negativos em um carro que tem tudo para seguir em ascensão.

 

—–

Ficha técnica:

Nissan Sentra Unique

Motor: 4 cilindros em linha, 16V, comando variável
Cilindrada: 1997 cm3
Combustível: flex
Potência: 140 cv a 5.100 rpm (g/e)
Torque: 20 kgfm a 4.800 rpm (g/e)
Câmbio: automático CVT c/ overdrive
Tração: dianteira
Direção: elétrica
Dimensões: 4,625 m (c), 1,761 m (l), 1,500 m (a)
Entre-eixos: 2,700 m
Pneus: 205/50 R17
Porta-malas: 503 litros
Tanque: 50 litros
Peso: 1.348 kg 0-100 km/h: 10s1 (g/e)
Vel. máxima: 186 km/h (g/e)
Consumo cidade: 10,2 km/l (g) e 6,9 km/l (e)
Consumo estrada: 12,9 km/l (g) e 9,1 km/l (e)
Nota do Inmetro: C
Classificação na categoria: A (grande)

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar