No meio do caminho há um Passion

Além dos conhecidos hatch e SW, a nova família 207 tem uma versão sedã, batizada de Passion. Apesar de compartilhar com o hatch bloco dianteiro e assoalho, o sedã possui 35,3 cm a mais de comprimento e porta-malas 175 litros maior.


Sua versão mais completa é esta avaliada, XS 1.6 16V com câmbio automático (R$ 52.786 na tabela Fipe). Em sua categoria, nenhum outro modelo tem transmissão automática. O único sedã nesta faixa de preço que também dispensa o pedal da embreagem é o Astra Sedan Advantage (R$ 55.471). Se a concorrência for definida levando em consideração apenas seu valor, outros três volumes entram na briga, assim como algumas versões de entrada de sedãs médios, como o Renault Mégane e o Vectra. Ou seja, o 207 Passion está no meio do caminho que separa os sedãs pequenos dos médios.

O maior responsável por essa posição no mercado é justamente o câmbio. Porém, suas trocas não são nada suaves: a transmissão não interpreta bem os comandos do acelerador, reduzindo e passando as marchas na hora errada. Na hora de frear para superar lombadas ou parar no trânsito, as reduzidas são indecisas, deixando o carro quase morrer para só depois diminuir a marcha. Por outro lado, o desempenho do seu motor 1.6 não deixa a desejar. Mesmo mais pesado do que o hatch, possui bastante agilidade.

A conclusão é que este 207 Passion XS atende bem às expectativas de quem procura um carro automático completo, mas sem levar em consideração sua categoria. Já para aqueles que colocam tudo na ponta do lápis e podem optar por um carro com câmbio manual, a melhor compra, pelo menos nesta faixa de preço, pode estar no segmento de médios.

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Baleia jubarte quase engole duas mulheres em caiaque; veja o vídeo
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

COMPARTILHAR
Notícia anteriorAproveite as oportunidades
Próxima notíciaO C4 que faltava