Novo Chevrolet Camaro: o mito está reformulado

Chevrolet

Um dos grandes ícones da indústria automotiva está completamente transformado. A sexta geração do Chevrolet Camaro terá versões LT e SS. Ela debutou uma identidade renovada, com mudanças tanto no design quanto na engenharia. Pouco restou do modelo antecessor, que começou a ser importado para o Brasil em novembro de 2010. Por aqui, o carisma do esportivo ficou “mais doce” com o hit da dupla sertaneja Munhoz & Mariano. A nova geração tem 70% de componentes exclusivos. O Chevrolet passou a ser montado sobre a plataforma Alpha (a mesma dos Cadillac ATS e CTS).

Antes o esportivo utilizava a base do Holden Commodore (o Omega australiano). Lado a lado com a quinta geração, esse novo Camaro possui medidas “acanhadas”. Na comparação entre os dois, ele agora mede 4,784 m de comprimento (contra 4,836 m) 1,897 m de largura (contra 2,089 m), 1,348 m de altura (ante 1,377 m) e 2,811 m de entre-eixos (ante 2,852 m). Sendo assim, o novo Camaro exibe medidas semelhantes às do rival Ford Mustang, que mede 4,782 m de comprimento, 1,986 m de largura, 1,381 m de altura e 2,720 m de entre-eixos. Uma das missões da engenharia da General Motors foi reduzir a massa do carro.


O painel mudou completamente. As novas saídas de ar ocupam o lugar onde ficavam os quatro instrumentos analógicos. Os mostradores agora são todos digitais, mantendo apenas o conta-giros e o velocímetro com ponteiros

E ela conseguiu. O Camaro está 90 quilos mais leve em relação ao modelo cupê anterior, graças à utilização de alumínio. O material aparece, por exemplo, na carroceria, no capô e nos suportes do painel de instrumentos, o que por si só ajudou a reduzir o peso em 4,4 quilos. Além disso, as suspensões dianteira e traseira ganharam uma estrutura otimizada feita com um material mais leve comparado ao alumínio. O resultado é um conjunto de suspensão com 21% a menos de peso em relação aos feitos de aço. A rigidez estrutural do carro também foi melhorada em 28%.

A carroceria que veste essa estrutura acumulou mais de 350 horas de testes em túnel de vento, de acordo com a GM. A aerodinâmica do Chevrolet Camaro foi aprimorada para beneficiar não só o desempenho, mas também a estabilidade, a refrigeração e a redução do ruído oriundo do vento. Já o design é um capítulo à parte: diferentemente do modelo antecessor, que teve seu design inspirado nos modelos da primeira geração (1966-1969), o carro ganhou linhas mais atléticas sem deixar de ser marcante. Embora completamente renovada, a sexta geração manteve as grades, os para-lamas traseiros pronunciados e o longo capô confeccionado de alumínio. E é debaixo dele que está a usina de força desse esportivo.

Antes o Chevrolet era oferecido com duas opções de motores: V8 6.2 com 431 cv de potência (no Brasil, amansado para 406 cv) ou V6 3.6 de 327 cv, que não foi trazido para o País. Agora, o novo Camaro oferece três opções de motores: V6 3.6 com injeção direta e desativação de cilindros de 335 cv e 39,3 kgfm, V8 6.2 também com injeção direta de combustível e 461 cv (emprestado do Corvette, é o propulsor mais potente já presente na história do carro) e um inédito bloco 4 cilindros 2.0 turbo de 279 cv e saudáveis 41 kgfm de torque disponíveis na totalidade entre 3.000 a 4.500 rpm. Para comparar, o motor de 4 cilindros 2.3 turbo Ecoboost presente no Ford Mustang desenvolve 314 cv de potência e 44,2 kgfm de torque.


São três opções de motores. Ao centro, o V8 6.2 de 461 cv. À direita, o V6 de 335 cv. À esquerda, o novo 4 cilindros 2.0 turbo de 279 cv. Só o V8 vem para o Brasil

Com essa mecânica turbo, o Camaro faz de 0-100 km/h em menos de 6 segundos. E para deixar a condução mais empolgante, a Chevrolet decidiu instalar um sintetizador de som. O câmbio automático de oito velocidades está disponível para todos os motores. Para beneficiar a dirigibilidade, as suspensões contam com regulagem dos amortecedores (opcional), que antes estava disponível exclusivamente no ZL1 da quinta geração. O Camaro passa a ter os modos de condução Neve e Gelo, Turismo, Sport e Pista. Este último é restrito às versões SS, assim como os freios da renomada marca Brembo. Já as rodas de liga leve são aro 20 no SS e 18 no LT. Outra diferença estética está nos para-choques dianteiros.

Por dentro, a Chevrolet aboliu os marcadores analógicos – no lugar ficaram as novas saídas de ar. A central multimídia MyLink de nova geração tem conexão de celular 4G e tela de oito polegadas. O freio de estacionamento passa a ser elétrico. Em sua história no Brasil, o Camaro já registrou 3.996 vendas. Em 2015, de janeiro a abril, a GM vendeu 166 unidades. O novo Camaro começará a ser vendido nos Estados Unidos somente em novembro e também será importado. Mas, devido à tropicalização, ele só começará a ser comercializado no Brasil a partir de junho ou julho de 2016. A GM trará apenas a versão SS com motor V8.

—–

As cinco fases do Camaro

1966-1969

O Chevrolet Camaro nasceu em 1966, quando foi apresentado pela primeira vez, já como modelo 1967, para confrontar o Ford Mustang. Sua venda nos Estados Unidos teve início em 29 de setembro do mesmo ano. Ele tinha incríveis oito opções de motores, com três versões: RS, SS e Z28. Em 1967, o modelo foi escolhido para ser o pace-car das 500 Milhas de Indianápolis. Além disso, foi naquela temporada que apareceu o primeiro modelo conversível. Ele foi vendido até 1969, totalizando quase 270.000 unidades. Repare que o novo Camaro segue o design do modelo original.

1970-81

A segunda geração chegou em 1970 e durou até 1981. Ela recebeu alterações estéticas nos modelos 1974 e 1978. A versão Z28 foi descontinuada no final de 1974, devido à crise do petróleo, voltando em 1977. Em 1980, o Camaro ganhou um motor V6 3.8.

1982-92

A terceira geração foi apresentada em 1982 com linhas mais quadradas. Na parte mecânica, a inovação foi novo motor V8 com injeção eletrônica. A configuração IROC-Z (International Racing Of Champions), lançada em 1985, usava um propulsor V8 de 5,0 litros com 218 cv. Ela contava ainda com suspensão aprimorada, sistema de injeção baseado no do Corvette e rodas aro 16 com pneus 245/50. Foi produzida até 1990. O último ano da terceira geração foi 1992, com uma série especial em comemoração aos 25 anos de produção.

1993-2002

A quarta geração veio em 1993, com dois motores V6 e dois V8. O carro ganhou linhas mais arredondadas. Em 1994, chegou a versão conversível. Essa geração deixou de ser fabricada em 2002 devido às baixas vendas, após 35 anos de produção contínua.

2009-2015

Foram sete anos longe do mercado até a chegada de um novo e cativante Camaro, em 2010. A quinta geração foi apresentada em 2009, como modelo 2010, resgatando a história do Chevrolet Camaro com um design inspirado nos primeiros modelos. A volta foi um sucesso. Entre os meses de abril e dezembro de 2009, o esportivo somou 90.000 carros comercializados nos EUA. As versões SS tinham motor V8 6.2 de 431 cv de potência. Isso animou a GM a importar o carro para o Brasil. A música “Camaro Amarelo”, da dupla Munhoz & Mariano, popularizou o carro. Todos o amam!

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar