O “a” da questão

Fotos: Roberto Assunção

Não pense que este é um Mercedes-Benz A 200 equipado com um kit visual. O A 250 Turbo Sport, versão intermediária da família, é a aposta para quem deseja emoção ao volante na dose certa. Para início de conversa, o A 250 não é “morno” de guiar como o A 200 Turbo (156 cv) nem tão radical como o A 45 AMG (360 cv). A força do A 250 vem do motor 2.0 de 211 cv de potência e torque de 35,7 kgfm, disponível de 1.200 a 4.000 rpm, que o torna rápido ao menor toque no pedal do acelerador. A agilidade do carro é ajudada pelo câmbio de dupla embreagem e sete marchas, com boas e imperceptíveis mudanças. Quem preferir pode fazer trocas sequenciais pelas borboletas atrás do volante. 

A dinâmica do carro é auxiliada pelas suspensões calibradas pela AMG (divisão esportiva da Mercedes). Para serem leves, os conjuntos dianteiro e traseiro são de alumínio. O acerto rme permite estabilidade nas curvas, mas o carro sofre com as condições dos pisos brasileiros. A direção elétrica tem respostas rápidas e diretas, evidenciando a dirigibilidade. Incomoda apenas a posição da alavanca seletora de marchas, junto à coluna de direção. 

O A 250 também é equipado com sistema start-stop, que desliga momentaneamente o motor nas breves paradas. Durante nossa avaliação em trechos urbanos e nos congestionamentos foi possível obter médias de mais de 8 km/l de autonomia. 

O visual invocado do Mercedes A 250 é “culpa” do pacote Sport AMG (de série). O para-choque dianteiro tem entradas de ar maiores e o traseiro exibe saídas de ar. Ambos trazem detalhes em vermelho na parte inferior. As rodas de aro 18 deixam à mostra os discos de freio perfurados e as pinças pintadas de vermelho. Por dentro, o interior remete diretamente ao A 45 AMG. Destaque para o acabamento imitando  bra de carbono no painel e no quadro de instrumentos, além de anel em vermelho nas saídas de ar – mesma tonalidade empregada nos cintos de segurança e nas costuras do volante, dos bancos e das laterais das portas. Além disso, o A 250 oferece alguns mimos, entre eles o Command Online com GPS e o Media Interface. Ele integra uma tela de 14,7” (não é touch-screen), bluetooth estreaming de áudio, que permite transmitir do celular arquivos de música e de dados, além de entradas auxiliar e USB.

Como segurança nunca é demais, esse A 250 é equipado com sete airbags, sistema Attention Assist (que detecta fadiga do motorista e sugere uma breve parada), controles eletrônicos de estabilidade e de tração, assistente e distribuição da força de frenagem, auxílio de partida em subidas e função Hold, para ajudar o motorista em situações de risco. Com tudo isso, não é à toa que o Mercedes A 250 Turbo Sport custe R$ 63.500 a mais do que o A 200 Turbo Style. 

Veja também

+ Fiat faz desconto em toda a linha; preço do Toro cai R$ 32 mil
+ Acesso de fúria de macaco deixa um homem morto e 250 pessoas feridas na Índia
+ Risco de casos graves de Covid é 45% maior em pessoas com sangue do tipo A, segundo pesquisadores europeus,
+ Aprenda a fazer o brigadeiro de paçoca de Ana Maria Braga


COMPARTILHAR
Notícia anteriorUma fera contra os alemães
Próxima notíciaNova cidadania