O bizarro The Golden Sahara II

Carroceria pintada com ouro e escamas de peixe e sistemas de direção automatizado são alguns dos destaques do carro montado pelo mesmo criador do Batmóvel... e que ficou esquecido por quase 50 anos

Reprodução/Mecum Auctions

Sistemas de frenagem automática e de partida remota do motor podem parecer equipamentos que surgiram nos últimos dez anos. Mas já estavam entre os destaques do The Golden Sahara II, um carro que pode ser considerado um dos automóveis customizados mais bizarros já produzidos na história.

A história do The Golden Sahara II começa em 1953. Após sofrer um acidente com o seu Lincoln Capri, o customizador americano George Barris (que anos depois ficaria famoso ao construir o primeiro Batmóvel) resolveu utilizar os restos do automóvel — que era praticamente zero km — para um novo projeto: o de construir um veículo nos moldes dos carros-conceito da época.

Batizado inicialmente como The Golden Sahara, o modelo trazia um carroceria aerodinâmica pintada com uma mistura de ouro 24 quilates e escamas de peixe (para deixar a carroceria com um acabamento perolizado) e era equipado com uma televisão e um bar refrigerado na traseira. Na época, o automóvel ficou conhecido como “o carro de US$ 25.000”, em alusão ao valor empregado em sua construção, que equivalem a atuais US$ 231 mil.

Em 1956, James Skonzakes (que havia financiado o projeto de Barris) resolveu modificar novamente o carro, que passou a ser conhecido como The Golden Sahara II. Foram instalados uma série de equipamentos eletrônicos no carro (que permitiam controlar a direção, os freios e a aceleração por meio de um manche), controles remotos para a abertura das portas e a partida do motor e um sistema de frenagem automático comandado por antenas no para-choque dianteiro. Para completar, o Golden Sahara II ganhou ainda calotas de vidro que funcionavam como setas e pneus que brilhavam no escuro. O carro ficou tão popular que chegou a aparecer em um programa de TV e foi usado pelo ator Jerry Lewis no filme Cinderelo sem Sapato (1960).

O automóvel participou de outras exposições automotivas ao longo dos anos 1960, até que desapareceu sem deixar rastros. O The Golden Sahara II foi reaparecer apenas no ano passado, após passar quase 50 anos escondido pelo seu proprietário. No último sábado (19), o bizarro automóvel foi vendido por US$ 350 mil (cerca de R$ 1,29 milhão) em um leilão realizado em Indianápolis, no Estados Unidos.

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool
+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas
+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial
+ Os 20 carros 1.0 mais econômicos do mercado brasileiro
+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar