O crossover nacional da JAC

Divulgação

o Salão de Xangai, aberto ao público entre os dias 22 e 29 de abril, havia um modelo que interessava especialmente ao consumidor brasileiro. Trata-se do JAC T3 (chamado por lá de S2). Como no caso do recém-lançado T6, o modelo aposta em porte superior com preço inferior. O T3 chega em apenas em agosto do ano que vem, inicialmente importado, para depois ganhar produção nacional (quando a fábrica ficar pronta, provavelmente só em 2018) para desafiar VW CrossFox e Renault Sandero Stepway.

O T3 completará a linha de crossovers da JAC no Brasil. Ela acaba de ser inaugurada com o T6, que tem motor 2.0 de 160 cv, preço de compacto (R$ 69.990) e tamanho de médio (4,47 m). Ainda em dezembro deste ano se junta a ele o T5, com motor 1.5 flex de 127 cv, preço similar ao do CrossFox (estimados R$ 59.990) e tamanho de compacto (4,32 m). E aí vem o T3, com a mesma motorização, mas opções de câmbio manual de seis marchas ou automático CVT se encaixa logo abaixo, com preço estimado de R$ 49.900 e tamanho maior que CrossFox e Stepway (hoje vendidos por R$ 51.350 e R$ 61.450, respectivamente).

Como os rivais, ele tem a plataforma de um modelo compacto (no caso, dos novos hatch e sedã que estão sendo desenvolvidos exclusivamente para o Brasil). Mas, em vez de ganhar apenas enfeites na carroceria e suspensão elevada, ele tem uma carroceria com linhas próprias (maçanetas traseiras escondidas para garantir um “ar de cupê”, como no Honda HR-V) e porte um pouco mais generoso. Enquanto o CrossFox tem 4,05 m (incluindo o estepe na traseira) e o Stepway tem 4,09 m, o T3 mede 4,14 m – quase o mesmo que o novo Peugeot 2008. Sem dúvida vai dar muito trabalho pra concorrência.