O "fenômeno" Azera

Da esquerda para a direita: o Azera tem acabamento impecável, câmbio seqüencial de cinco marchas, motor V6 de 245 cv e muito conforto. O nível de ruído impressiona tanto quanto seu preço

Primeiro veio o Tucson. Com uma política de preços agressiva e uma ótima relação custo-benefício, a Hyundai conseguiu fazer do SUV um verdadeiro sucesso. Agora, a história se repete com o sedã, que mostramos em primeira mão, com exclusividade, em outubro do ano passado.

O preço de lançamento, R$ 130 mil, já impressionava pelo ótimo custo-benefício. Agora, a Hyundai lançou uma versão mais simples do carro, por R$ 98.400, e baixou o preço da versão mais completa para R$ 105.900. A versão mais barata, em comparação com a mais cara, vem sem teto-solar, memórias do banco, retrovisores e volante, cortina no vidro traseiro, vidros fotocromáticos (com escurecimento automático) e disqueteira para seis CDs – mas mantém os dez airbags e outros itens de luxo. São valores para deixar os concorrentes preocupados, até mesmo os que já tinham preços agressivos, como o recém-lançado Chrysler 300 C V6, que custa R$ 139.900.

Sobre como a marca conseguiu abaixar tanto o preço, Annuar Ali, vice-presidente do grupo Caoa, que comercializa a marca Hyundai no Brasil e já tem até uma fábrica aqui (que, em breve, produzirá o Tucson), disse à MOTOR SHOW que “o preço está diretamente ligado à negociação de volume versus preço que fizemos junto à Hyundai Motor Company”. Ou seja, importando mais, ficou mais barato.

Douglas Mendonça, nosso diretor técnico, não poupou elogios ao carro quando o avaliou: “O Azera se mostrou um carro impressionante”; “comporta-se de maneira exemplar: é equilibrado, oferece ótimas respostas ao comando do acelerador e mesmo nas frenagens mais duras, com desvio de trajetória, a carroceria se mantém sob controle”; “impressiona o baixíssimo nível de ruído (…) mal consegue-se escutar o som produzido pelos pneus”; “o sedã coreano esbanja sofisticação”.

Nas propagandas veiculadas na mídia, o carro é comparado a sedãs de luxo como BMW Série 7, Lexus ES 350 e Mercedes Classe C. Tudo bem que a Hyundai pode – e até tem atributos para isso – roubar clientes destas marcas, mas o verdadeiro alvo, na prática, são os carros ao lado. Alguns são mais potentes (Camry, Passat, 300C e Omega), outros podem até ser mais bonitos, mas, na relação custo-benefício, não há quem chegue perto do Azera.

Exatamente por isso, em fevereiro (primeiro mês de comercialização do carro) foram vendidas 215 unidades do Azera, que já assumiu a liderança do segmento de sedãs grandes. A GM, segunda colocada, comercializou 105 Omega (menos da metade) e do terceiro colocado, o Toyota Camry, foram emplacadas 75 unidades. Está claro que os concorrentes começam a sentir a força da Hyundai. “Nosso objetivo é 500 unidades por mês”, completa Ali. Alguém duvida disso?

DE QUEM O AZERA DEVE ROUBAR MAIS CLIENTES (PREÇOS TABELA FIPE)

Chrysler 300 C V6 R$ 139.900  

Lançado agora com novo motor V6 de 249 cv, impressiona pelo design retrô e vem com um sistema de som multimídia bastante interessante

Peugeot 407 V6 R$ 132.322 a R$ 150.855  

Em duas versões de acabamento, tem design chamativo e 211 cv de potência. Destaque para o câmbio automático seqüencial de seis marchas

Honda Accord V6 R$ 121.643 

Será substituído este ano pela nova geração, mas ainda está à venda. Motor de 240 cv e câmbio automático de cinco marchas, não seqüencial

Toyota Camry V6 R$ 157.813  

Com ótima dirigibilidade e motor de 284 cv, é o mais potente do segmento. Seu câmbio automático seqüencial tem seis marchas

GM Omega V6 R$ 149.723

Com 254 cv de potência, é o único do segmento com tração traseira. Vem com DVD de teto e fones sem fio, de série, para quem vai no banco traseiro

VW Passat V6 R$ 171.755 

Com 250 cv, câmbio seqüencial de seis marchas e tração 4×4, é o mais rápido de todos. Também há a versão 2.0 turbo (4×2), com 200 cv (R$ 145.460)

COMPARTILHAR
Notícia anteriorPlcanto
Próxima notíciaSantana ainda reina na China