O Filho do Vento

Dificilmente algum piloto será capaz de se igualar a John Surtees e seus títulos mundiais. O inglês é o único no planeta tetracampeão no motociclismo e uma vez campeão na Fórmula 1. Pilotou diversos modelos como Triumph, MV Agusta e a própria Vincent. Entre 1956 e 1960, quando disputou os campeonatos mundiais de 350 cc e 500 cc, obteve 68 vitórias em 76 corridas.

A transferência para as quatro rodas se deu quase sem querer. Em 1959, Surtees aceitou um convite e fez sua estreia nos monopostos, a bordo de um F3 Cooper. Ele se deu tão bem que terminou a prova em segundo lugar, atrás do já promissor Jim Clark. Colin Chapman ofereceu-lhe lugar na equipe de F1 para algumas provas na temporada de 1960. Abandonou definitivamente o motociclismo e passou a competir pela Cooper, em 1961,e pela?Lola, em 1962.

O entusiasmo, a paixão e a personalidade rabugenta, porém detalhista e assertiva do piloto, chamaram a atenção de Enzo Ferrari, no GP da Itália de 1962. Enzo, que já o admirava nos tempos das motocicletas, convidou-o para integrar sua escuderia. John Surtees aceitou o desafio e, em 1963, passou a correr pela Ferrari. Na equipe, recebeu o apelido de Filho do Vento. Os italianos já o tinham como ídolo a bordo da MV Agusta. Sua consagração viria em 1964, em uma virada histórica, quando tirou o campeonato das mãos dos favoritos Graham Hill e Jim Clark nas três últimas corridas.

Depois disso, Surtees tentou outras categorias de automobilismo. Voltou à Ferrari em 1966, mas não superou desentendimentos internos do passado. Transferiu-se para a Honda e auxiliou os japoneses, por dois anos, no desenvolvimento de seus carros,conquistando inclusive a vitória no GP da Itália de 1967.

COMPARTILHAR
Notícia anteriorO Bad Boy da F1
Próxima notíciaMercado e Serviços