O Fusca da Mercedes-Benz

Conheça a história do 130, o primeiro carro da marca alemã equipado com motor traseiro

23232
Mercedes-Benz 130 (Divulgação)

A história do automóvel está cheio de exemplos de modelos que, apesar de tecnicamente atuais para a sua época, acabaram não se tornando sucessos de venda. Um desses carros é o Mercedes-Benz 130, lançado em 1933 e que foi o primeiro modelo popular e com motor traseiro produzido pela marca alemã.

O 130 foi desenvolvido como um popular que fosse compacto e ao mesmo tempo tivesse o espaço interno e o conforto dos modelos mais requintados da empresa. Para isso, a Mercedes-Benz posicionou na traseira o pequeno motor 1.3 de quatro cilindros (o primeiro da história da marca) que era refrigerado a água e desenvolvia 26 cv. O arranjo permitia um melhor aproveitamento de espaço e ainda possibilitava que a carroceria tivesse linhas aerodinâmicas, uma novidade para a época. O mesmo conjunto mecânico de 130 acabou sendo empregado também nos esportivos 150 Sport Roadster (produzido entre 1934 e 1936) e 150 Sport Saloon (1934).

O problema do novo Mercedes é que ele era totalmente diferente dos modelos maiores da marca (como o luxuoso 770K usado por Adolf Hitler) e muito mais ousado do que a clientela da marca estava acostumada, com destaque para a ausência da grade frontal com o emblema da estrela. E isso incomodou os compradores. O 130 teve apenas 4.427 unidades produzidas entre 1933 e 1936. Números tímidos, ainda mais se comparados às 9.155 unidades comercializadas no mesmo período do W15, um modelo mais caro, porém com carroceria de desenho conservador.

Nem o lançamento do substituto 170H, em 1935, com linhas mais harmoniosas e um motor 1.7 de 38 cv, salvou as vendas do Mercedes-Benz de motor traseiro. Na mesma época, para atender aos clientes mais conservadores, a marca lançou o 170V, um compacto com o mesmo motor do 170H, porém posicionado na dianteira. E foi esse carro que acabou se tornando o primeiro compacto de sucesso da marca da estrela. Mesmo tendo espaço interno menor e desempenho inferior, o 170V teve 67.579 unidades produzidas entre 1935 e 1939, enquanto o 170H saiu de linha em 1939 com apenas 1.507 unidades comercializadas.

Considerado inadequado para uso militar, o 170H acabou se tornando um veículo muito popular na Alemanha nos primeiros anos após o fim da Segunda Guerra Mundial. Mas boa parte deles acabou sendo sucateada nos anos posteriores ao conflito, o que acabou tornando o Mercedes popular um dos carros mais raros da marca.