O futuro já começou

Em 1948, o primeiro Land Rover escalou algumas colinas do País de Gales para provar que a transmissão e o diferencial cumpriam seu dever. Hoje, os engenheiros da marca inglesa têm de lidar com um cenário muito mais complexo – com sensores, câmeras, raios laser e sistemas interativos. No Discovery Vision, o mais novo “carro-laboratório”, é possível controlar por uma tela de alta de nição o mapeamento do solo abaixo do carro, feito em tempo real por um sistema chamado “digitalização de terreno a laser”, que usa laser infravermelho para digitalizar continuamente o chão. O mapa é usado pelo sistema para indicar ao motorista o melhor caminho a ser seguido. O mesmo laser é capaz de intervir na hora de passar por uma área alagada: antes mesmo de as rodas tocarem a água, o feixe luminoso emitido pelo veículo é capaz de medir a profundidade e indicar se é possível passar por ela. E se você está cansado de trabalhar volante e pedais, basta acionar o controle “All- Terrain Progress Control”, uma espécie de pilotagem off-road semiautônoma, que dirige o carro sozinho. E tem mais: um controle remoto permite que você mova o veículo em baixa velocidade, sem estar a bordo. Um recurso útil em situações como a xação de um reboque ou o off-road extremo. 

 

Veja também

+ Fiat faz desconto em toda a linha; preço do Toro cai R$ 32 mil
+ Acesso de fúria de macaco deixa um homem morto e 250 pessoas feridas na Índia
+ Risco de casos graves de Covid é 45% maior em pessoas com sangue do tipo A, segundo pesquisadores europeus,
+ Aprenda a fazer o brigadeiro de paçoca de Ana Maria Braga


COMPARTILHAR
Notícia anteriorDestino: Itatiaia
Próxima notíciaEnquanto o nacional não vem