O irmão gêmeo do TUCSON

SPORTAGE R$ 69.900

Nossa, mas que lindo esse Tucson!”, “Qual a placa do Tucson, senhora?”, “Fulano, traz o Tucson da madame”. Perdi a conta de quantas vezes ouvi frases como essas durante a semana em que avaliei o Kia Sportage.

De fato, tirando alguns poucos detalhes estéticos, ambos são o mesmo produto. Dona da Kia desde 1998, a Hyundai se deu melhor no mercado nacional com seu SUV. Hoje o modelo tem posição de destaque no ranking de vendas e se tornou referência. Já o Sportage, que até teve seus tempos de glória nos anos 90, caiu no ostracismo para ressurgir agora, modernizado, com preço competitivo e aproveitando a onda de sucesso do quase-irmão.

Ainda assim, fechou 2008 na nona colocação do segmento, enquanto o Tucson aparece em segundo no ranking de vendas.

Muito dessa vantagem da Hyundai tem a ver com a política agressiva de preços e propaganda do grupo Caoa, que representa a marca no Brasil.

É verdade que os coreanos aprenderam a fazer utilitários na década passada a ponto de até ameaçar os fabricantes mais tradicionais, mas nenhum outro fator (além da estratégia da Caoa) explica por que o Tucson vende o dobro do Sportage. Afinal, as qualidades e os defeitos dos modelos são praticamente os mesmos.

Equipado com motor 2.0 com comando de válvulas variável que gera 142 cv de potência, o Kia oferece uma dirigibilidade satisfatória, mas não arranca suspiros. O carro é um pouco lento nas acelerações sofre com a transmissão automática, que não aproveita como deveria os 18,8 kgfm de torque do propulsor. Características igualmente encontradas no Hyundai, que usa o mesmo trem de força.

Para quem usa o carro na cidade, o modelo acena com a posição de dirigir elevada, o amplo espaço interno, a comodidade da transmissão automática e com a facilidade na hora de estacionar, já que suas medidas não são exageradas. Por não oferecer a tração 4×4, deve ser mantido distante de trechos inóspitos, apesar de seu visual off-road. É apenas um bom carro urbano.

Mas o grande atrativo deste Sportage, assim como o do Tucson, continua sendo o preço. No fechamento desta edição, a marca estava com preço promocional de R$ 69.900 para o modelo de entrada.

Um valor bem baixo para o segmento de SUV. Mas, na hora da compra, não se esqueça de que a Ford reposicionou o líder EcoSport e, hoje, você leva um Freestyle 2.0 para casa por menos de R$ 60 mil. E é um propulsor flex!

O painel é limpo e bem acabado e a lista de itens de série é interessante na na versão intermediária com ar digital e piloto automático. Mas a transmissão automática prejudica um pouco o desempenho do 2.0

Parece mas não é

Detalhes do parachoque, janelas traseiras e conjunto ótico diferenciam o Kia Sportage do “primo” Hyundai Tucson (acima). Mas, na essência, trata-se do mesmo modelo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar