O mago do design brasileiro

Já imaginou um carro com o visual feito sob medida para você? A prática chama-se customização, exatamente o que faz Luis Fernando Batista, o famoso Batistinha. Dono da oficina Batistinha Garage, ele diz que a paixão por carros veio do berço. Seu pai sempre foi restaurador de modelos antigos e, com isso, ele cresceu nesse universo. Em 2001, quando montou sua oficina, não demorou muito para seu trabalho ser apreciado e reconhecido pela indústria automobilística nacional. “Eu fazia carros para meu próprio uso, e o pessoal começou a encomendar meus serviços”, conta o empresário. Segundo ele, a maior guinada de sua carreira aconteceu no primeiro Salão de Tuning, há cerca de três anos, quando a GM se interessou por seu trabalho e fez uma parceria com a oficina para desenvolver carros de exposição da marca. Além da GM, Batistinha já trabalhou com veículos da Ford e diversas outras empresas de grande importância, além de preparar carros para pessoas famosas, como jogadores de futebol e artistas.

No ultimo Salão de Tuning, a GM cedeu um Astra para que sua equipe o customizasse durante o evento. Foram 93 horas de trabalho pesado. Todo o processo foi gravado pelo programa Rides América Latina, transmitido pelo Discovery Channel. O mesmo canal que apresenta o mago do tuning Chip Foose no programa Overhaulin’. Aliás, Batistinha e Fosse têm muitas coisas em comum. Ambos defendem que cada carro tem um tema, que é estudado, discutido e desenhado antes de colocar a “mão na graxa”. “O mais importante é ter uma inspiração, que pode vir tanto de um objeto ou animal quanto de outro carro”, diz o “Foose” Brasileiro.

De acordo com Batistinha, a customização é uma arte, que exige bom gosto e dom natural. Um dos vilões a serem combatidos é o modismo. “Fazer um carro que chama atenção é muito fácil. O grande desafio é fazer um que nunca sai de moda”, explica. Ele diz que não há limites na personalização de um automóvel, mas que cada um tem seu estilo e design, que precisam ser respeitados. “Não dá para fazer adaptações malucas. Fatalmente o resultado será bizarro”.

Enquanto Batistinha conversa com o cliente sobre a idéia do projeto, o novo carro já está surgindo em 3D na sua cabeça. O próximo passo é levá-lo à prancheta e começar dar vida ao modelo

Em sua oficina, o que não faltam são veículos incríveis. Durante a sessão de fotos feita por MOTOR SHOW com o Shelby Eleonor (semelhante ao Mustang do filme 60 segundos), não faltaram curiosos. Elvis Renato Campos, que passava na rua, não resistiu e parou: “É o sonho de qualquer um!”

O tempo de construção de um carro desses varia muito, mas o período médio para uma boa personalização é de seis meses. O valor também depende do carro, de suas condições e do projeto escolhido. “Já tive trabalhos que custaram R$ 500, e outros que saíram por mais de R$ 400 mil”, conta o empresário.

O segredo de tanto sucesso não é apenas o talento nato. Depende também de muito esforço. “Dia triste para mim é o domingo. Não vejo a hora de voltar para a oficina. Considero os carros como filhos”.

COMPARTILHAR
Notícia anteriorFusquinhas do Mal
Próxima notíciaInvasão chinesa