O menor dos pequenos

Dez anos depois de seu lançamento na Europa, cerca de um milhão de Smart já foram vendidos. Hoje, ele é comercializado em 37 países, e no ano que vem começa a ser vendido na China e também aqui no Brasil. Na verdade, a Smart faz parte da Mercedes, que será responsável pelas vendas. A Mercedes do Brasil nega que o carro será vendido aqui, mas o fato é que estará, sim, no Salão do Automóvel.

Com 2,70 metros de comprimento, faz com que Mini Cooper e Fiat 500, os outros “pequenos e sofisticados” desta edição, pareçam até grandes. No Smart Fortwo, o modelo que será vendido aqui, só andam dois passageiros, como diz seu nome (“Paradois”, em tradução literal). O banco do motorista fica praticamente encostado no vidro traseiro – aliás, é na parte traseira que fica quase tudo no Smart: motor, câmbio, tração…

Ser tão pequeno tem suas vantagens, principalmente nas apertadas e lotadas ruas das grandes cidades européias. Em muitas vagas é possível, por exemplo, estacioná-lo perpendicularmente aos outros carros, como se fosse uma moto: ou seja, cabe em qualquer lugar. Tem dois carros e só uma vaga na garagem? Não se preocupe, dá para estacionar dois Smart nela.


O carro é tão pequeno que acaba logo atrás do banco do motorista. Mas ser “míni” tem suas vantagens

Mas aqui, na verdade, o carro vai atrair o consumidor que quer se destacar na multidão – como aconteceu também lá, onde virou praticamente um acessório da moda, um “símbolo fashion”. Outra vantagem do reduzido tamanho é que, como o carro pesa apenas 780 kg, o motor 1.0 turbo de 84 cavalos que será comercializado no Brasil é mais que suficiente: o Fortwo acelera de zero a 100 km/h em 10,9 segundos (melhor que alguns 1.8, como o Stilo) e alcança a máxima, limitada eletronicamente, de 145 km/h. E isso com um baixíssimo consumo: faz quase 16 km/l na cidade e chega bem perto dos 25 km/l na estrada.

E se o tamanho dá impressão de falta de segurança, a marca se preocupou com isso: além de airbags e ABS, uma estrutura batizada Tridion é responsável por proteger os ocupantes, e por isso o carro conseguiu quatro estrelas nos testes da Euro NCAP, responsável pela certificação dos carros vendidos lá.

Em nenhum lugar do mundo ele é considerado barato, e aqui deve ser vendido na casa dos R$ 80 mil. Com esse dinheiro, dá para comprar um sedã médio completo ou uma minivan como a C4 Picasso. Mas nenhum outro carro vai causar tanta admiração e curiosidade quanto este minúsculo Smart.

O painel, à esquerda, tem elementos em comum com os Mercedes e contagiros e relógio em destaque (no detalhe à direita). Acima, a chave encaixa ao lado do câmbio manual sem embreagem, que possui a opção de trocas automáticas

SHARE
Artigo anteriorMercado
Próximo artigoA Picape do 207