O preço pago pelo visual off-road

Desde o lançamento da Palio Adventure, os “aventureiros urbanos” conquistaram uma boa fatia do mercado, e até hoje são lançadas versões do tipo para diversos modelos (o último foi o Sandero Stepway, leia nesta edição). Não importa que seja apenas um visual – alguns, como este C3, nem maior distância do solo oferecem. Mas decidir se o visual aventureiro é mais importante que desempenho, conforto e segurança é papel do consumidor – o nosso é mostrar os fatos.

Por R$ 1.700 mais que este XT-R 1.4 (vendido por R$ 44.290) compra-se o C3 Exclusive com motor 1.6. Além da maior potência – que faz bastante diferença na estrada, mas na cidade não se destaca tanto do 1.4 – o “não aventureiro” oferece mais em equipamentos: ar-condicionado automático, veludo nos bancos, apoio de braço, faróis e limpador de pára-brisa automáticos e freios ABS.

Com visual off-road, o C3 oferece muitos equipamentos, entre eles ar-condicionado e direção elétrica. Mas a versão “não aventureira” vale mais a pena


Se esses R$ 1.700 são um acréscimo muito grande, ainda há a opção do C3 1.4 Exclusive: mesmo motor, mas trocam- se as rodas de liga e os adereços estéticos por bancos de veludo e apoio de braço – com uma economia de R$ 1.800. Ou, ainda, pode-se comprar a versão GLX, mais pelada (mas não pelada de fato), com o potente motor 1.6 (e faz-se uma economia de R$ 800).

No mais, o design que tanto atraiu quando o carro foi lançado hoje já se mostra um tanto cansado – e este face-lift da versão 2009 foi sutil demais. As mudanças na suspensão, estas sim fizeram diferença, pois ele está menos sensível aos buracos. Outro destaque é a direção com assistência elétrica variável. Leve na cidade, firme na estrada, repassando muito pouco as irregularidades. Seja qual for a escolha entre visual off-road ou conforto e desempenho, o C3 é um bom carro, e seu design apesar de cansado, ainda consegue se destacar.

SHARE
Artigo anteriorA nova cara da Chevrolet
Próximo artigoMotorNews