O problema é o interior

SANDERO STEPWAY

R$ 45.443

Particularmente, não gosto muito de carros urbanos com visual fora-de-estrada. Confesso que torço o nariz para a maioria deles. Mas admito que, em alguns casos, me impressionam. Seja pela relativa – e inesperada – capacidade de enfrentar terrenos inóspitos (como no caso do Peugeot 207 Escapade), seja pelo visual que, algumas vezes, acaba ficando mais interessante. É o que ocorre com esse Sandero. Seu design, que para mim já não era dos piores, ficou mais bem resolvido no Stepway. Moderno, simpático. Uma graça.

Pena que, ao entrar a bordo, a decepção seja inevitável. O carro parece muito pobre. E o pior (ou melhor, sei lá) é que parece, mas não é! Pelo menos não o modelo avaliado, com uma ampla lista de opcionais, como airbag duplo, ABS, couro nos bancos, CD e vidros elétricos. Mesmo com tudo isso, e com um bom acabamento, a sensação a bordo é de um carro inferior. Imagino qual deva ser a experiência a bordo do modelo básico que, de importante, traz apenas banco do motorista com regulagem de altura, banco traseiro bipartido, computador de bordo, desembaçador, ar quente e direção hidráulica. Mas o interior vai conquistando aos poucos. Boa ergonomia, instrumentos de leitura fácil, acesso rápido aos comandos. Simples, racional e eficiente. Como calça jeans e camiseta branca.

Seu comportamento também é elogiável. Claro que, por ser cinco centímetros mais alto, ele balança mais nas curvas que a versão normal, mas nada que cause incômodo. E sua suspensão é firme, garantindo boa estabilidade. Por outro lado, quem está a bordo sofre mais do que gostaria com os solavancos. O motor 1.6 de 112 cv garante um desempenho bem adequado e um consumo contido mesmo com álcool. Uma boa relação entre performance e gasto de combustível.

Por R$ 41.790 (básico, sugerido), não sei se o compraria para mim. Mas, com certeza, o recomendaria a alguém que estivesse procurando um off-road urbano.

 

CONTRA PONTO

O adesivo na lateral é um opcional gratuito: se você não quiser, não precisa colocar. São seis opções de desenhos com temas diferentes

Concordo com a Flávia em relação ao design deste Stepway, mais atraente que o já bom Sandero. Nos dias em que fiquei com o carro, os elogios foram constantes, apesar desta versão não ser exatamente uma novidade (está à venda desde outubro passado). Já em relação ao interior, também me decepcionou – o Clio era superior como hatch “premium”. Mas, pensando melhor e avaliando as outras opções de “aventureiros urbanos”, a falta de sofisticação é uma constante: EcoSport, mesmo depois da reestilização e melhorias no interior, e CrossFox – os mais populares do segmento – também têm a mesma falha. Já o Peugeot 207 Escapade consegue ser melhor. O problema é que Stepway e Crossfox têm como base modelos simples, cujos preços começam na casa dos R$ 30 mil. Adicionados dos acessórios, o preço vai lá em cima, ficando na faixa de carros superiores. Será que vale mesmo a pena?

Flávio R. Silveira | Repórter

Veja também

+ Fiat faz desconto em toda a linha; preço do Toro cai R$ 32 mil
+ Acesso de fúria de macaco deixa um homem morto e 250 pessoas feridas na Índia
+ Risco de casos graves de Covid é 45% maior em pessoas com sangue do tipo A, segundo pesquisadores europeus,
+ Aprenda a fazer o brigadeiro de paçoca de Ana Maria Braga


COMPARTILHAR
Notícia anteriorMercado
Próxima notíciaO novo Chevrolet