O VW Fox não morreu (e por R$ 54 mil é uma ótima compra)

Criado em 2003 para ganhar o mundo, o VW Fox fracassou. Mas ele ainda vive no Brasil, com a mesma plataforma original -- e um excelente custo-benefício na linha 2021

VW Fox

O VW Fox chegou com grandes ambições. Lançado no Brasil ainda em 2003, tinha como meta conquistar mercado também no Velho Continente. Era para ser um carro global para substituir o Gol, mas a marca acabou o posicionando aqui entre o Gol e o Polo, em uma boa estratégia da Volkswagen, considerando nosso mercado.

Em 2011, ele deixou de ser vendido na Europa, e aqui há anos se cogita que também seria aposentado. Mas, depois de quase 18 anos do seu lançamento, ele ainda vive, e acaba de ganhar sua linha 2021, limitada às versões 1.6 Connect (R$ 54.060) e 1.6 Xtreme
(R$ 59.630).

Ao longo dos anos, o hatch espaçoso Sofreu algumas melhorias no visual, em duas reestilizações. Mas manteve a mesma base e o mesmo motor, que podem, sim, ser considerados ultrapassados. Mas, por isso mesmo, talvez ele tenha a melhor relação custo-benefício do mercado na faixa de R$ 54 mil.

A linha 2021 chegou com duas versões, a Connect e a Extreme. A primeira é a que mais interessa aqui. Vendida por um preço sugerido de R$ 54.060, oferece muito mais do que outros modelos populares que ficam na mesma faixa de preço.

MECÂNICA

A lista de vantagens do VW Fox Connect sobre os rivais de mesmo valor começa pelo motor 1.6. Tudo bem que é o velho EA111, com até 104 cv, pouco para um 1.6, e não o MSI. Mas o torque de de até 15,6 kgfm, e a dirigibilidade desta mecânica é muito bem acertada, principalmente no uso urbano, onde ter 8V ajuda a ser mais ágil e as trocas de marcha são leves e fáceis. Só o consumo que é um pouquinho mais alto que a média, nada demais.

VW Fox

Enquanto isso, Ford Ka, Renault Sandero, Chevrolet Joy e Fiat Argo e Hyundai HB20 os principais rivais, e até mesmo o Gol, da mesma marca e menor, na faixa de
R$ 52 mil têm motores 1.0 que não chegam a 90 cv e tem torque muito menor, na faixa de 10 kgm. Mecanicamente, portanto, o VW Fox Connect é superior a qualquer concorrente.

Além de ser melhor que os rivais – e que o irmão Gol – na mecânica, o Fox ainda é mais barato que qualquer um dos rivais, mesmo esses 1.0 citados, com um pacote de itens de conforto e conveniência semelhante.

EQUIPAMENTOS

Rodas de liga leve? De série no Fox, nos rivais de preço semelhante, nem como opcional. Sistema multimídia com tela sensível ao toque e Android Auto CarPlay? O Ka SE Plus
(R$ 52.910) e o Sandero Zen (R$ 55.390) também tem, mas não têm as rodas de liga e ficam devendo várias outras coisas que o Fox tem.

O Fiat Argo Drive (R$ 54.390) não tem multimídia de série (custa R$ 3.050) e rodas de liga nem como opcional. Vidros elétricos traseiros? Sandero e Joy não oferecem nessas versões 1.0. Aliás, o Chevrolet, o velho Onix com mesmo nome, não tem nem mesmo um sistema de som básico, e custa R$ 52.150.

O Fox Connect ainda se destaca dos rivais por ter itens como computador de bordo, piloto automático, mesmo sendo manual, banco do motorista com ajuste de altura, chave com comando remoto, retrovisores e maçanetas na cor do veículo, retrovisores externos elétricos com tilt down no lado direito e luzes indicadoras de direção, faróis de neblina com luz de conversão estática, faróis duplos com máscara negra.

Procure esses itens na concorrência citada, ou até mesmo no irmão Gol. Você pode achar um ou outro, mas nenhum modelo de menos de R$ 55 mil oferece o mesmo que o Fox. O Gol, aliás, sai por R$ 56.960 equipado de modo similar, mas com o motor três cilindros 1.0, ou R$ 57.600 na versão 1.6 básica, com o multimídia de série no Fox custando R$ 2.280 extras). Claro que estou excluindo subcompactos Mobi e Kwid, mas nem eles oferecem custo-benefício equivalente. 

+Toyota Corolla Cross é SUV do Corolla para brigar com Jeep Compass e cia; confira imagens oficias
+Exclusivo: testamos o novo Honda Fit Crosstar, o aventureiro híbrido que teremos no Brasil
Avaliação: ao volante, VW Nivus Comfortline é mais cupê do que SUV

A CABINE

Dentro do VW Fox, embora o entre-eixos seja menor que os rivais, o Fox é mais alto – quem lembra do slogan “Compacto para quem vê, gigante para quem anda”? Isso ainda vale. Com o teto alto, os bancos ficam mais altos, melhorando o espaço para as pernas e a sensação de amplitude na cabine. O porta-malas de 270 litros fica na média do segmento.

Além disso, ele tem a coluna de direção com ajuste de altura e profundidade – algo que ninguém mais oferece na categoria – e um acabamento interno muito aprimorado em relação às suas origens. Tão bom, ou até melhor, em certos detalhes, do que vemos hoje em modelos na faixa de R$ 100 mil, como o VW Nivus.

CONCLUSÃO

Assim se você está pensando em comprar um carro zero-quilômetro espaçoso, para uso familiar, e bem equipado, sem gastar muito dinheiro, resista ao design mais bonito do Fiat Argo, ao ar mais moderno (pero no mucho) do Ford Ka e ao espaço extra na cabine e porta-malas do Renault Sandero e leve em consideração este Fox. Na opinião deste Blog Sobre Rodas, racionalmente, o Fox é uma excelente compra na faixa de R$ 54 mil hoje.

Veja também

+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA

+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA

+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar