Os 45 anos do Ford Maverick no Brasil

Lançado para enfrentar o Chevrolet Opala, modelo ficou famoso pela versão GT, equipada com um motor V8 de quase 200 cv

0
12840
Ford Maverick GT
Ford Maverick GT V8 Fase II (1977-1979)

A Ford celebra neste ano os 45 anos do início da produção do Maverick no mercado brasileiro. Lançado em 1970 nos Estados Unidos, com o objetivo de competir contra os compactos europeus e japoneses, o modelo começou a ser fabricado em série no Brasil em junho de 1973, com a tarefa de substituir os veteranos Aero Willys e Itamaraty (herdados da fusão da Ford do Brasil com a Willys Overland) e roubar o mercado do bem-sucedido Chevrolet Opala.

Inicialmente, o Maverick era o oferecido apenas na carroceria cupê de duas portas (o sedã de quatro portas viria alguns meses mais tarde). Era praticamente idêntico ao carro produzido até 1972 nos Estados Unidos. Mas nas versões Super e Super Luxo trazia um motor 3.0 de seis cilindros e 112 cv, herdado do Aero Willys. O destaque era a versão GT, que estava equipada com um (bem mais potente) motor importado 5.0 V8 de 199 cv, que era de série no esportivo e opcional no restante da linha.


A crise do petróleo, porém, afetou a venda dos carros grandes no mercado brasileiro, com o público passando a favorecer o consumo em detrimento ao desempenho. Neste contexto, em 1975 a Ford trocou o motor de seis cilindros do Maverick, muito criticado na época pelo baixo desempenho e alto consumo, por um então moderno bloco 2.3 de quatro cilindros e 99 cv. Apesar de menor do que o antigo seis cilindros da Willys, o novo propulsor dava ao Maverick um melhor desempenho, mas com consumo mais baixo de combustível.

No ano seguinte, o Maverick sofreria a sua primeira e única reestilização no mercado brasileiro. Mudavam as lanternas traseiras e detalhes de acabamento interno e externo, e era lançada a nova versão de luxo LDO. Mas a mudança mais significativa foi a adoção do motor de quatro cilindros também na versão GT, com o V8 passando a ser opcional.

Em vida, o modelo não atingiu o mesmo sucesso do seu concorrente Chevrolet Opala, saindo de linha em 1979 após a produção de 108.106 unidades. Mas virou objeto de desejo nos dias atuais, como um dos últimos carros de passeio brasileiros equipados com motor V8.