Audi Q3 2.0: os mesmos pacotes, adicionados de emoção

Divulgação

Alguns crossovers são menos SUVs do que outros. O consumidor pede um carro alto, com posição de dirigir elevada e rodas grandes. Mercedes-Benz, BMW e Audi atendem ao último pedido, mas não aos primeiros – para não sacrificar a dirigibilidade de seus carros. Assim, GLA e X1, como esse Q3, têm posição de guiar baixa para o segmento; estão mais para “hatches bombados” do que para “jipinhos”. Bem diferentes do Range Rover Evoque, mais SUV – e, mesmo assim, muito bom de dirigir. Quem está certo? Depende do gosto do freguês.

Mas do que os consumidores precisam? No caso do Q3, as novas opções Attraction (R$ 127.190) e Ambiente (R$ 144.190), ambas 1.4 4×2, já servem a 90% deles. Afinal, poucos o usam no off-road. E mesmo com o motor pequeno, graças ao turbo o Q3 1.4 tem ótimo desempenho com baixo consumo (nota A, contra D desse 2.0). Se você quer mais diversão, porém, as mesmas versões com motor 2.0 e tração integral custam R$ 145.190/R$ 165.190 (louvável a atitude da Audi de não obrigar quem quer equipamentos a levar o motor maior).


O interior é idêntico ao do 1.4: posição de dirigir ótima, porém baixa para um crossover, central multimídia excelente e ar-condicionado com duas zonas (na configuração Ambiente)

Pagando a partir de R$ 18.000 extras, portanto, você passa do Q3 1.4 para esse 2.0, seja qual for a versão (em equipamentos, a Attraction decepciona e a Ambiente impressiona, com itens como tampa do porta-malas motorizada; só falta retrovisor interno antiofuscante). A potência vai de 150 para 180 cv, e o torque, de 25,5 para 32,6 kgfm. A melhor mudança, porém, vem da tração quattro: ela não é para off-road pesado, mas melhora muito a aderência na terra e no asfalto – onde a capacidade de grudar ao chão em curvas rápidas impressiona (e as suspensões ainda são confortáveis e silenciosas). E, para completar, a transmissão ganha a sétima marcha.

No mais, apesar da posição de dirigir mais baixa e do pouco espaço interno (como nos rivais X1 e GLA), a direção é muito bem calibrada, o nível de ruído é baixo e o Audi Drive Select permite que o Q3 vá de super-econômico (com banguela automática inclusive) a esportivo ao toque de um botão, alterando as respostas do acelerador, da direção e do câmbio. Já em relação ao motor, que fique claro: se a emoção manda levar esse 2.0, a razão recomenda o 1.4.

 

img-366321-audi-q3-20-selo

—–

Ficha técnica:

Audi Q3 Ambiente 2.0 TFSI

Preço básico: R$ 145.190
Motor:
4 cilindros em linha, 16V, injeção direta, turbo
Cilindrada: 1984 cm³
Combustível: gasolina
Potência: 180 cv de 4.000 rpm a 6.200 rpm
Torque: 32,6 kgfm de 1.400 rpm a 3.900 rpm
Câmbio: automatizado, sete marchas, dupla embreagem
Tração: integral, bloqueio do diferencial
Direção: eletro-mecânica
Dimensões: 4,388 m (c), 1,831 m (l), 1,590 m (a)
Entre-eixos: 2,603 m
Pneus: 235/50 R18 (235/55 R17 na versão Attraction)
Porta-malas: 460 litros
Tanque: 64 litros
Peso: 1.540 kg
0-100 km/h: 7s6
Velocidade máxima: 217 km/h
Consumo cidade: 8,6 km/l
Consumo estrada: 10,6 km/l
Emissão de CO2: 145 g/km
Nota do Inmetro: C
Classificação na categoria: D (Grande)

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar



NOSSO VEREDICTO
Motor
Câmbio
Performance
Consumo
Segurança
Equipamentos
Multimídia
Conforto
Porta-malas
Prazer ao dirigir
COMPARTILHAR
Notícia anteriorPor dentro do novo Camaro
Próxima notíciaEm busca do cliente perdido