P4: um Mercedes-Benz feito pela Peugeot

Utilitário militar combina a carroceria do Classe G ao motor e câmbio da marca francesa

10013
Divulgação

Quem olha para o luxuoso Mercedes-Benz Classe G, com suas dimensões avantajadas e a opção de motores de até 585 cv, muitas vezes não imagina que o utilitário alemão teve um começo muito mais modesto, no início dos anos 1970, como um veículo militar simples e robusto que é usado até hoje pelas forças armadas de países como a Alemanha e a Argentina. Mas foi justamente esse Classe G militar que acabou dando origem a um dos Peugeot mais curiosos já produzidos: o utilitário P4.

Nos anos 1970, o exército francês iniciou estudos para substituir o veterano Jeep Willys por um novo modelo, que além de levar quatro soldados armados deveria suportar o lançamento de para-quedas. Como a indústria local não produzia utilitários com tração nas quatro rodas capazes de atender a esses requisitos, as montadoras francesas se aliaram a marcas estrangeiras: a Renault ofereceu ao governo o Fiat Campagnola. Já a Citroën queria vender o Volkswagen Iltis, enquanto a Peugeot buscou a Mercedes-Benz e o seu Classe G.

No final das contas, a Peugeot foi a escolhida para fornecer os novos veículos. Como o contrato previa que, além da produção local, o novo utilitário deveria ter pelo menos 50% de componentes nacionais, foi feito o seguinte arranjo: a Peugeot recebia da Mercedes-Benz chassi, carroceria desmontada, suspensão e eixos do Classe G e instalava os motores do modelo 504 e a transmissão manual de quatro marchas do 604. O resultado foi o modelo rebatizado como Peugeot P4, que além do logo do leão trazia algumas diferenças estéticas em relação ao carro da marca alemã, como a posição das setas dianteiras.

O P4 teve 13.500 unidades produzidas entre os anos de 1982 e 1992, equipadas com duas opções de motorização: 2.0 a gasolina de 84 cv e 2.5 diesel de 70 cv. Algumas unidades do modelo foram modificadas pelos militares com a colocação de blindagem e até metralhadoras. Ainda em uso pelas forças armadas francesas, o modelo deverá ser substituído nos próximos anos pelo ACMAT VLTP-NP, uma versão militarizada do SUV Ford Everest.