Para desafiar Fiat Toro, VW Tarok usa plataforma MQB

Picape-conceito adianta linhas do modelo quase-médio, com plataforma de Polo/Virtus

VW Tarok foi revelada no Salão de SP, em novembro de 2018

A demora da Volkswagen a entrar no segmento de SUVs compactos ocorreu também no de picapes médias – a Amarok é um modelo relativamente recente –, mas não se repetirá no de picapes monobloco “quase-médias”. A Tarok, apresentada como conceito no Salão de São Paulo, marcará a entrada da Volks na categoria, criada recentemente pela Fiat com a Toro – e com enorme sucesso – “muito em breve”.

Maiores que as picapinhas tradicionais como VW Saveiro e Fiat Strada, mas não brutas e desconfortáveis como as médias tradicionais, com construção sobre chassi, essas quase-médias ainda terão a provável companhia de um modelo da Hyundai. No conceito Tarok, o banco traseiro pode ser rebatido e, assim, a caçamba pode ser  ampliada, invadindo a cabine, para acomodar objetos mais longos. Há também tomadas na caçamba,inclusive USB. A tampa tem amortecimento a gás para ficar mais fácil de fechar.

A capacidade será de uma tonelada, e para isso a plataforma MQB, na qual se baseia, foi bastante modificada – é considerada pela marca até uma nova base.Terá versões de tração dianteira e 4×4, e muito provavelmente versões a diesel, como a Toro. Segundo representantes da marca, a versão de produção será muito parecida com o conceito – que traz muito em comum com o T-Cross.