Para iniciantes em aventura

Oswaldo Palermo

Engana-se quem pensa que a Renault jogou a toalha porque o Jeep Renegade chegou botando banca em cima da capacidade off-road do Duster 4×4. Para começo de conversa, a marca francesa tem um argumento fortíssimo: R$ 21.500. Essa é a diferença de preço entre o Duster 2.0 4WD e o Renegade Sport 2.0 4×4. Com esse dinheiro, dá para comprar um Renault Clio Authentique 2013 ou oito passagens de ida e volta entre o Rio de Janeiro e Paris pela Air France. Segundo a Renault, o cliente interessado em entrar no mundo dos crossovers 4×4 não dará importância para o motor a diesel do Renegade.

Além de ter muitos admiradores no Brasil e a confiança dos proprietários, o Duster leva ampla vantagem na capacidade do porta-malas, que é de 400 litros, enquanto o Renegade oferece apenas 260 litros. Embora tenha ganhado 6 cv de potência e 1 kgfm de torque em baixa no motor 2.0 flex, o modelo 2016 tem no visual suas principais mudanças. Na dianteira, ele exibe nova grade, novo para-choque e novos faróis com máscara negra, que o deixaram mais insinuante. Na traseira, o Duster tem novo para-choque, lanternas redesenhadas e novo puxador da tampa do porta-malas.


Com novas rodas e boa disposição para o barro, o renovado Duster 4×4 traz um interior caprichado, com painel repleto de novidades, quadro de instrumentos de ótima leitura e Media Nav Evolution

Nas laterais, ganhou a inscrição “Duster” nas barras de teto e novas rodas de liga leve aro 16. No interior, o carro apresenta materiais mais suaves no toque das mãos e acabamento em Black Piano na região central do painel. Melhorou, de fato, mas alguns pênaltis ficaram claros durante o test drive realizado em estradas da região de Campinas (SP) e numa pista particular de off road no Haras Tuiuti. Entre eles a má localização da tela do Media Nav Evolution (muito embaixo, distante dos olhos do motorista) e do controle dos espelhos elétricos (escondido sob o freio de mão).

De fato, o sistema multimídia evoluiu ao incorporar informações de trânsito em tempo real, novas funções (temperatura externa, Eco-Coaching e Eco-Scoring) e acesso a mídias sociais por meio do smartphone. Os bancos de couro ganharam duas cores, mas o encosto de cabeça fica muito para trás e isso pode causar dor no pescoço em viagens. O quadro de instrumentos agora possui iluminação branca no conta-giros, no velocímetro (ambos analógicos e de boa leitura) e no mostrador (digital) do nível de combustível e do computador de bordo.


Acima à esquerda, uma das funções do novo Media Nav. À direita, o botão que seleciona a tração 4×4. Abaixo, o porta-malas de 400 litros, barra no teto estilosa e os bancos de couro

Outra novidade é o indicador de troca de marchas, que permite ao motorista dirigir de forma mais econômica. O motor 2.0 de 143/148 cv (gasolina/etanol) tem nota A no programa de consumo no Inmetro. A função EcoMode economiza 10% no consumo. Apesar de versão a 4×4 responder por menos de 10% das vendas do Duster, a Renault passou a ressaltar as virtudes aventureiras de seu robusto crossover. No Haras Tuiuti ele mostrou ser capaz de superar inclinações, subidas, descidas e obstáculos que a maioria dos carros dito aventureiros não encararia – daí a certeza da Renault de que o Duster tem seu papel como modelo de entrada desse nicho.

A primeira marcha do câmbio manual de seis velocidades é reduzida e a tração 4×4 entra automaticamente quando necessária, mas também pode ser travada (nesse caso, sem fazer curvas) em situações mais difíceis. Outra diferença fundamental em relação às versões de tração dianteira é que o Duster 4×4 dispõe de suspensão traseira independente multilink, enquanto aquelas têm suspensão semi-independente. Aliás, a diferença na suspensão roubou 75 litros de capacidade do porta-malas do Duster 4×4. E, óbvio, o carro não dispõe dos sistemas eletrônicos disponíveis no Jeep Renegade – mas só para aqueles que desconsideram o custo de oito viagens a Paris quando se trata de equipar o carro…

—–

Ficha técnica:

Renault Duster Dynamique 2.0 4WD

Motor: 4 cilindros em linha, 16V
Cilindrada: 1998 cm3
Combustível: flex
Potência: 143 cv a 5.750 rpm (g) e 148 cv a 5.750 rpm (e)
Torque: 18,8 kgfma 2.250 rpm (g) e 17,9 kgfm a 2.250 rpm (e)
Tração: dianteira ou 4×4
Direção: hidráulica
Dimensões: 4,329 m (c), 1,822 m (l), 1,683 m (a)
Entre-eixos: 2,674 m
Pneus: 205/60 R16
Porta-malas: 400 litros
Tanque: 50 litros
Peso: 1.353 kg 0-100 km/h: 11s9 (g) e 10s3 (e)
Vel. máxima: 180 km/h (g) e 187 km/h (e)
Consumo cidade: 9,1 km/l (g) e 6,4 km/l (e)
Consumo estrada: 10,8 km/l (g) e 7,4 km/l (e)
Nota do Inmetro: A (cat. Ut. Esport. Grande)