Para poucos e fortes

A Rubicon Trail, situada na Califórnia, é considerada uma das trilhas mais difíceis do mundo. E, justamente por isso, cruzar seus 12 quilômetros de extensão é um prêmio para qualquer amante do off-road. Mas não imagine que você enfrentará lamaçais, riachos e buraqueiras. Aqui, a travessia é composta por uma infinidade de pedras gigantescas. É como uma escalada, só que motorizada. Originalmente, essa trilha era usada pelos índios para fazer comércio e, em meados do século 19, a rota passou a receber diligências do Exército americano. Mas apenas em 1908 o primeiro veículo motorizado completou o caminho.

Em 1952, um grupo de aficionados por off-road da cidade de Georgetown resolveu promover uma expedição para cruzar a região. Um ano depois, eles conseguiram completar as adaptações e transformações dos veículos e, em agosto de 1953, 55 jipes e 155 pessoas fizeram a primeira travessia em grupo da Rubicon Trail. De lá para cá, virou uma tradição chamada de Jeepers Jamboree. Todo ano, entre a última semana de julho e a primeira de agosto, milhares de adeptos do fora-de-estrada participam da aventura. Mas as regras são rígidas. Só é permitido sair oito metros para cada lado demarcado. O descumprimento de alguma exigência pode acarretar multas de cerca de R$ 300.

De São Francisco (A), são 232 km até Georgetown (B). De lá, segue-se até o Loon Lake, onde começa a trilha (C) detalhada acima

Se quiser encarar o desafio, comece pela cidade de Georgetown, ao pé da Sierra Nevada, e siga pelos 45 quilômetros de estrada asfaltada até Loon Lake. Nesse local, há um pequeno comércio, no qual você encontra mapas, água, mantimentos e pode fazer pequenos reparos no veículo. Uma recomendação é baixar a calibragem dos pneus, para melhorar a aderência nas pedras. Depois de atravessar duas barragens, termina o asfalto e a aventura começa.

A primeira parte é basicamente subindo serras, atravessando florestas verdes e contornando lagos de águas cristalinas. Até Rubicon Springs são 12 quilômetros percorridos em um dia. Parece uma tarefa fácil, mas é bom lembrar que os obstáculos são muito difíceis de serem transpostos e a velocidade média é 5 a 8 km/h. Neste ano, a trilha estava muito mudada devido ao inverno rigoroso. Locais que, no ano passado, tinham muita poeira e pedra, dessa vez, estavam alagados.

A aventura se resume a atravessar uma espécie de paredão de pedra. Você sai das margens do lago Loon Lake (abaixo) e chega às de outro lago, o Tahoe

 

Quem vem a Rubicon Springs pela primeira vez irá se surpreender. O local do primeiro acampamento é como um oásis no deserto. Barracas muito bem montadas, coberturas para as refeições e até um pianista embalando o descanso dos bravos pilotos. Para o banho, existe um lago. Mas só para os mais corajosos, pois a água costuma estar entre oito e dez graus. Todos se reúnem à noite e acontece uma grande festa, com muita comida e bebida. O dia seguinte é mais tranquilo. Depois de um lanche no Mirante do Cadilac, o grupo segue em direção a Tahoma, no Lake Tahoe, num total de 15 quilômetros.

Oficialmente este é o fim do Jeepers Jamboree, mas, se você tiver tempo, passe alguns dias explorando a região. Os vilarejos que ficam no entorno do Lake Tahoe estão entre as paisagens mais belas dos Estados Unidos. O lago separa a Califórnia, onde o jogo é proibido, de Nevada, onde os cassinos são liberados, atraindo californianos endinheirados em busca de diversão. Nesta época do ano, há ainda prática de esportes aquáticos no local. Um excelente descanso!

Off-road aqui significa, na maior parte do tempo, escalada em pedras a 5 km/h. Poucos veículos conseguem vencer o desafio; e o Jeep Wrangler é um deles

 

A viagem

Como chegar

Vá de avião até São Francisco. De lá alugue um jipe e siga a Georgetown, que fica a 232 km, pela bela I-80. Aproveite para visitar a cidade de Sacramento

Locação carro

A locação de um Jeep Wrangler custa cerca de R$ 200 por dia

Para a trilha

Para se informar sobre a trilha, as exigências em relação ao carro e para ter contato com clubes de off-road acesse o site www.jeepersjamboree.com ou www.rubicontrail.org

 

Chegar ao lago Tahoe é como um prêmio pela dura travessia da Rubicon. Este é um dos locais mais belos da Califórnia

 

Novo Wrangler: aqui, ano que vem

A Rubicon Trail foi o cenário usado pela Jeep para a apresentação do novo Wrangler, que começa a ser vendido aqui no primeiro bimestre de 2012. A principal mudança no novo jipe é o motor Pentastar (foto) com bloco de alumínio, 3.6 V6 de 285 cv. No uso off-road, a mudança de torque e elasticidade são quase imperceptíveis, mas em estradas asfaltadas e subidas de serra a melhora é grande. O câmbio manual continua com seis velocidades, mas o automático passou de quatro para cinco velocidades. Foram usados novos revestimentos acústicos para o compartimento do motor e da cabine, melhorando sensivelmente o ruído interno. O teto rígido (introduzido no modelo anterior) contribui para melhor conforto interno e temperatura. O painel, também redesenhado no ano passado, conta com um novo console, mas tem acabamentos luxuosos demais para esse tipo de veículo. Já o porta luvas continua pequeno para um jipe. Um pouco estranha foi a mudança dos espelhos retrovisores externos da coluna do vidro para as portas.

 

Jeep Wrangler – R$ 115.000 (estimado)

MOTOR seis cilindros, em V, 3,6 litros, 24 V, DOHC TRANSMISSÃO automática sequencial, cinco marchas, tração 4×2, 4×4, neutro, reduzida DIMENSÕES comp.: 3,89 m – larg.: 1,87 m – alt.: 1,80 m ENTRE-EIXOS 2,424 m PORTA-MALAS de 190 a 1.730 litros (sem os bancos traseiros) PNEUS 225/75 R16 PESO 1.413 kg ● GASOLINA POTÊNCIA 285 cv a 6.400 rpm TORQUE 36 kgfm a 4.800 rpm VEL. MÁX. não disponível 0 – 100 KM/H não disponível CONSUMO não disponível CONSUMO REAL cidade: 7,2 km/l – estrada: 8,9 km/l (CO2 269 g/km – altíssima)

 

 

COMPARTILHAR
Notícia anteriorO paraíso da velocidade
Próxima notícia<b>Vergonha!</b>