Passat ou Tiguan?

Devo reconhecer: sou fã do Tiguan.

Para mim, é o melhor SUV na faixa

dos R$ 100 mil. A plataforma de Golf

– não esse de quarta geração vendido

no Brasil, mas o mais moderno – tem

parte nisso. Muito da esportividade e

do prazer de dirigir proporcionados

pelo hatch foi mantido no modelo off-road. Por isso mesmo ele é

um utilitário esportivo excepcionalmente bom de curva. E, como

se não bastasse, ainda tem tração 4×4 permanente com distribuição

eletrônica – o que signi ca que é capaz de encarar aventuras

off-road, mesmo não sendo um “jipão”com reduzida.

Mas tenho que admitir que ele é caro. Há outros SUVs que passam

de R$ 100 mil em suas versões de topo – Sportage, ix35, ASX, Captiva…

Também caros. Porque, por melhor que sejam, passam a brigar

não só com esse Passat, mas com carros como Mercedes Classe C e

BMW Série 3. Aí ca mais difícil justi car a escolha. Por outro lado,

quem tem mais de R$ 100 mil para gastar em um carro costuma ligar

menos para custo-benefício ou outros motivos racionais.

Os dois Volks são muito bem equipados, com itens como seis

airbags, controle de estabilidade e sistema que detecta fadiga do

motorista. E ambos oferecem opcionais de alta tecnologia, como o

sistema que estaciona o carro sozinho. Mas o Passat, além de ter itens

de série exclusivos, como para-brisa duplo, recuperação de energia de

frenagem, pneus autosselantes e ar bizone, tem muitos opcionais

não oferecidos no Tiguan, como o ACC (piloto automático que “enxerga” carros à frente), os vidros térmicos, o

sistema anticolisão e os bancos elétricos com

ventilação. Considerando que custam quase

o mesmo, o Passat leva vantagem.

Mecanicamente, os dois têm o mesmo

motor 2.0 TSI, mas o do Passat é mais moderno,

com 11 cv extras e disponibilidade do

torque máximo em uma faixa (ainda) maior

de rotações. É no câmbio, porém, que o sedã

deixa o SUV no chinelo. Por melhor que seja

a transmissão automática sequencial de seis

velocidades do Tiguan, não se compara à rapidez

e esportividade da caixa manual automatizada

de dupla embreagem (DSG) do Passat, que

ainda tem as borboletas no volante.

Veredito: Não há como discordar que

o Passat é maior e mais espaçoso, além de

mais silencioso, esportivo e tecnológico. Seria

a escolha mais sensata. Mas o Tiguan não fica

muito longe dele em alguns desses pontos e,

na hora de encarar uma estrada de terra, sem

dúvida é a escolha certa. Além disso, apesar

de o seguro ser cerca de R$ 1 mil mais caro,

ele tem pacote de peças mais barato. Se você

tem necessidade real de um SUV, que com ele

sem medo. Foi quase um empate técnico.

O acabamento do Passat é ligeiramente melhor, o que é compreensível: ele pertence a um segmento superior, já que o Tiguan deriva do Golf

VW Passat 2.0 TSI

MOTOR quatro cilindros em linha, 2,0 litros, 16V, comando variável, injeção direta, turbo TRANSMISSÃO manual automatizada, seis marchas, dupla embreagem (DSG), borboletas no

volante, tração dianteira DIMENSÕES comp.: 4,77 m – larg.: 1,82 m – alt.: 1,48 m ENTRE-EIXOS 2,712 m PORTA-MALAS 485 litros PNEUS 235/45 R17 PESO 1.474 kg GASOLINA POTÊNCIA 211 cv de 5.300 a 6.200 rpm TORQUE 28,5 kgfm de 1.700 a 5.200 rpm VEL. MÁXIMA 210 km/h (limitada) 0 – 100 KM/H 7,6 segundos CONSUMO cidade: 10,5 km/- estrada: 16,4 km/l CONSUMO REAL cidade: 8,3 km/l – estrada: 11,7 km/l

A limitação de altura do bagageiro é o maior problema dos sedãs para quem precisa carregar objetos grandes. Na traseira, o espaço para as pernas é amplo

Mesmo não tendo o câmbio DSG do Passat, o Tiguan oferece um conjunto mecânico excelente e, apesar da altura, sua tocada lembra a de um hatch

VW Tiguan 2.0 TSI

MOTOR quatro cilindros em linha, 2,0 litros, 16V, comando variável, injeção direta, turbo TRANSMISSÃO automática sequencial, seis marchas, modo esportivo, borboletas no volante,

tração integral DIMENSÕES comp.: 4,43 m – larg.: 1,81 m – alt.: 1,67 m ENTRE-EIXOS 2,605 m PORTA-MALAS 470 a 1.510 litros PNEUS 235/55 R17 (opcional aro 18″) PESO 1.585 kg GASOLINA POTÊNCIA 200 cv de 5.100 a 6.000 rpm TORQUE 28,5 kgfm de 1.800 a

5.000 rpm VEL. MÁXIMA 207 km/h 0 – 100 KM/H 8,5 segundos CONSUMO cidade: 9,2 km/l

– estrada: 12,9 km/l CONSUMO REAL cidade: 7,4 km/l – estrada: 9,3 km/l

Espaço interno não é seu forte, mas com os bancos rebatidos o bagageiro fica enorme. E há itens tipicamente familiares como as mesinhas na traseira

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool
+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas
+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial
+ Os 20 carros 1.0 mais econômicos do mercado brasileiro
+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar



COMPARTILHAR
Notícia anteriorConforto acessível
Próxima notíciaAgora no rumo certo