Pequeno automático

Apesar da enxurrada de lançamentos e das novidades que não param de lotar as ruas brasileiras, curiosamente ainda há segmentos muito pouco explorados em nosso mercado. Um deles é o dos compactos com câmbio automático. Parece incrível, mas atualmente quem quiser um hatch de entrada com essa transmissão terá que escolher entre o Peugeot 207 XS, Citroën C3 Automatique, Honda Fit e Nissan Tiida. É isso ou nada. Eles são os únicos da categoria a dispor desse item de conforto. C3 e 207, aliás, utilizam a mesma caixa de câmbio, mas, no C3, o acerto ficou melhor. Ao rodar na cidade, as trocas parecem mais lógicas, há menos reduções desnecessárias e, quando se utiliza das trocas seqüenciais, o motorista fica mais livre para executar os engates das marchas maiores em giros um pouco mais altos. No concorrente, quando se tenta uma esticada maior, o câmbio faz a passagem automaticamente e não deixa muito espaço para a diversão. Mas o C3 também impõe limites aos motoristas mais “abusados”, digamos assim. Reduz a marcha quando o motor baixa de 1.000 rpm (ou quando se solicita através do quickdown, pressionando o pedal de acelerador ao máximo) e engata a velocidade seguinte antes da rotação de corte. Essa transmissão, aliás, chamada de auto-active AL4 já equipa com bons resultados outros dois modelos da marca, o C4 Pallas e o monovolume Picasso.

No compacto C3, a novidade só aparece nos modelos equipados com o motor 1.6 16V flex que desenvolve 110 cv (gasolina) e 113 cv (álcool) tanto para a configuração GLX quanto para a Exclusive. O escalonamento das marchas foi refeito e as molas da suspensão foram recalibradas devido ao maior peso da nova caixa de mudanças.

Cheio de equipamentos, o C3 automático parte de R$ 47.490. Um valor bem interessante para o que oferece e abaixo da concorrência. O modelo de entrada vem com direção elétrica, ar-condicionado, banco do motorista com regulagem de altura, freios com ABS, EBD e AFU (sistema que “amplifica” a força que o motorista faz no pedal em uma frenagem de emergência), computador de bordo, vidro traseiro com desembaçador e limpador que funciona automaticamente quando se engata a marcha à ré, trio elétrico e volante com regulagem de altura e profundidade.


Já a versão Exclusive, avaliada, custa R$ 49.990 e oferece, além dos itens do modelo de entrada, airbag duplo, ar-condicionado digital, faróis com acendimento automático, limpadores do pára-brisa com acionamento automático e faróis de neblina.

Recentemente reestilizado, e com a suspensão (que era um de seus problemas) recalibrada, o Citroën C3 é uma boa opção para quem precisa dos benefícios da transmissão automática, mas não pode desembolsar mais de R$ 50 mil.

O modelo avaliado, na versão top de linha Exclusive, tinha uma excelente lista de equipamentos de série. Mas o básico já oferece ar, direção elétrica e freios ABS, entre outros itens

SHARE
Artigo anteriorA nova cara da Chevrolet
Próximo artigoMotorNews