Avaliação: o pequeno e cumpridor Suzuki Jimny

O Suzuki Jimny é o mais barato “jipinho” do mercado brasileiro. Tem tração 4x4, anda bem na cidade e na terra e cabe em qualquer garagem. Rodamos na versão 4Sport

0
55503

Esqueça as notas. Nosso critério de avaliação para carros comuns não pode ser totalmente considerado quando falamos do Suzuki Jimny. Afinal, ele tem um porta-malas minúsculo (113 litros) e a potência específica do motorzinho 1.3 (85 cv) é de apenas 64 cavalos/litro. Mesmo assim, o Jimny é um carrinho encantador. Excelente para o fora-de-estrada e bom também na cidade. Na estrada de asfalto, aí sim, ele sofre, pois é muito alto e está longe de ser confortável.

Para conhecer a linha 2018, rodamos com o Jimny 4Sport, que custa R$ 6.000 a mais que a versão básica. Ele traz rodas mais bonitas (aro 15, com pneus ATR) e bancos com revestimento de couro. Ele também oferece um snorkel opcional, para quem quiser andar dentro d’água. Os Jimny 4Sport e 4Work Off-Road custam R$ 71.990; o 4All e o 4Work saem por R$ 65.990. Faz décadas que a Suzuki encanta o mundo com seus pequenos utilitários esportivos, também chamados de “jipinhos” no Brasil. O Jimny foi lançado no Japão em 1965 e desde 2012 é produzido no Brasil. Ele já teve mais de 2,5 milhões unidades vendidas em 188 países.

Fazia tempo que não andávamos no Jimny. E ele surpreendeu positivamente. Na cidade, no modo 2WD (tração traseira), o carrinho mostra uma desenvoltura digna dos melhores carros urbanos. Seu raio de giro é de apenas 4,9 metros. A potência e o torque dão conta do recado (o motor de alumínio tem comando de válvulas variável), a posição de dirigir (bem alta) é muito boa, a visibilidade agrada, os bancos são confortáveis e o ruído é bem menor do que esperávamos. O Jimny reúne a agilidade de um subcompacto com a robustez de um SUV.

Os engates de marcha são fáceis e a simplicidade dos comandos agrada. O grande atrativo do Jimny, porém, é seu preço: simplesmente não existe outro “jipinho” 4×4 genuinamente off-road tão em conta como ele no mercado. Para se ter uma ideia, o Troller T4 parte de R$ 124.890. Ele também tem ar-condicionado, direção hidráulica, vidros elétricos, rádio AM/FM, CD player com MP3, USB e bluetooth. Mas o verdadeiro habitat do Suzuki Jimny é o fora-de-estrada. E nesse quesito ele dá um show.

Seu sistema drive action 4×4 é acionado por três grandes botões no painel e permite até 15 combinações de marcha: além do 2WD (melhor para rodar na cidade), ele tem o modo 4WD com tração nas quatro rodas e 4WD-L, reduzida, que dobra o torque e faz o carro encarar diversos obstáculos. O modo de tração pode ser modificado com o carro rodando até 100 km/h. As suspensões são independentes. Ao contrário do Troller T4, que é feito de fibra, o Suzuki Jimny tem uma carroceria que lhe dá muito mais segurança – permite, por exemplo, vir equipado com airbags. Outro item importante de segurança são as barras de proteção laterais, coluna de direção retrátil em caso de colisão e encostos de cabeça ajustáveis para os quatro ocupantes.

Visualmente o Jimny também encanta. Sua frente é única. Ele tem tomadas de ar no capô e molduras em cinza grafite nas caixas de roda e nas laterais. Os freios a disco têm as pinças posicionadas no alto para facilitar a passagem em trechos alagados. Os ângulos de entrada e de saída são de 41º e 44º, respectivamente. Como se vê, não estamos falando apenas de um carrinho bonito. O Jimny traz muita tecnologia sob seu design charmoso.


Ficha técnica:

Suzuki Jimny 4Sport

Preço básico: R$ 65.990
Carro avaliado: R$ 71.990
Motor: 4 cilindros em linha 1.3, 16V, comando de válvulas variável
Cilindrada: 1328 cm3
Combustível: gasolina
Potência: 85 cv a 6.000 rpm
Torque: 11,2 kgfm a 4.100 rpm
Câmbio: manual, cinco marchas
Direção: hidráulica
Suspensões: independentes com eixo rígido (d/t)
Freios: disco sólido (d) e tambor (t)
Tração: traseira (com opções 4×4 e 4×4 reduzida)
Dimensões: 3,645 m (c), 1,600 m (l), 1,705 m (a)
Entre-eixos: 2,250 m
Pneus: 205/70 R15)
Porta-malas: 113 litros (330 kg)
Tanque: 40 litros
Peso: 1.090 kg
0-100 km/h: 14s1
Velocidade máxima: 140 km/h
Consumo cidade: 10,3 km/l
Consumo estrada: 10,4 km/l
Emissão de CO2: 129 g/km
Nota do Inmetro: C
Classificação na categoria: A (Fora-de-Estrada)

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Baleia jubarte quase engole duas mulheres em caiaque; veja o vídeo
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel