Petrobras indica que preço do diesel vai aumentar e abastecimento requer ‘atenção’

O fato ocorre após o presidente Jair Bolsonaro anunciar medidas para conter o valor dos combustíveis

0
4
Rio de Janeiro - Edifício sede da Petrobras no Centro do Rio - Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Nesta quarta-feira (8), a Petrobras soltou uma nota à imprensa a qual indica que os preços dos combustíveis, principalmente o do óleo diesel, devem continuar aumentando.

Além disso, destaca que “em um cenário de escassez global, o abastecimento nacional requer uma atenção especial”.

O fato ocorre após o presidente Jair Bolsonaro anunciar medidas para conter o valor dos combustíveis, como a isenção de impostos federais e o pagamento de ICMS zerado pelos Estados.


+ Gasolina: Petrobras espera ‘estabilização’ da defasagem para reajuste
+ Preço do diesel está 53% mais caro se comparado com o ano passado
+ Caminhoneiro desabafa: ‘vai parar’, ‘quase R$ 6 mil para encher o tanque’

“Existe a possibilidade de o mercado global de óleo diesel ficar mais pressionado nos próximos meses, em função de: aumento sazonal da demanda mundial no segundo semestre; menor disponibilidade de exportações russas pelo prolongamento e agravamento de sanções econômicas ao país; e eventuais indisponibilidades de refinarias nos Estados Unidos e Caribe com a temporada de furacões de junho a novembro. Portanto, não há fundamentos que indiquem a melhora do balanço global e o recuo estrutural das cotações internacionais de referência para o óleo diesel”, afirmou a estatal.

A Petrobras ressalta que o Brasil é deficitário em óleo diesel, tendo importado quase 30% da demanda total em 2021. E que historicamente no segundo semestre o consumo nacional cresce.

“Ressalta-se, também, que o mercado interno registrou recorde de consumo de óleo diesel no ano passado e essa marca deverá ser superada em 2022”.

E finaliza afirmando que “diante desse quadro, é fundamental que a prática de preços competitivos e em equilíbrio com o mercado global seja referência para o mercado brasileiro de combustíveis, visando à segurança energética nacional”.

Preço de paridade de importação (PPI)

Mesmo com o aumento do óleo diesel realizado pela Petrobras em maio, o combustível ainda aparece com uma defasagem média de 16% em relação ao mercado internacional, segundo a Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis, divulgado nesta quarta-feira (8).

Vale destacar que o Brasil adota uma política de preço de paridade de importação (PPI).

MAIS NA MOTOR SHOW:

+ Carro Usado: Toyota Prius é híbrido de R$ 60 mil que faz até 30 km/l na cidade sem precisar de tomada
+ CNH: junho é o último mês para grupo renovar a habilitação; veja
+ Licenciamento de veículos: confira o calendário e como pagar em SP
+ Veja quais são os carros flex mais econômicos, segundo o Inmetro
+ CNH: novo limite de pontos vai completar 1 ano; entenda
+ Brasil oferece 70 modelos de veículos eletrificados; veja os mais vendidos
+ Carro por assinatura vale a pena? Confira um guia completo com preços, vantagens e desvantagens
+ GP do Azerbaijão de F1: veja onde assistir a 8ª etapa do campeonato
+ Nem todo carro híbrido é igual: saiba as diferenças
+ Comparativo de Carros Elétricos: Peugeot e-208 GT vs. Mini Cooper SE vs. Fiat 500e vs. Renault Zoe