Peugeot 208 atinge duas estrelas em teste de impacto

O Peugeot 208 conquistou apenas duas estrelas na bateria mais recente de testes de colisão realizados pelo Latin NCAP, cujos resultados foram divulgados nesta quarta-feira (8). O modelo já havia sido avaliado pelo órgão independente em 2014, quando conquistou quatro de um total de cinco estrelas. A razão para a queda da nota foi o mau resultado no teste de impacto lateral, que há dois anos não fazia parte dos testes.

O exemplar testado era da versão de entrada Active, que está equipada apenas com os airbags frontais (enquanto as versões mais caras têm as bolsas infláveis laterais e de cortina). Apesar da boa proteção para a cabeça do motorista e do passageiro na colisão frontal, o carro forneceu uma proteção fraca no impacto lateral, devido à ausência das bolsas infláveis e de painéis metálicos reforçados para suportar este tipo de colisão, aponta o Latin NCAP. Sem o Isofix, o compacto manteve a pontuação de três estrelas na proteção para as crianças.

Vale lembrar que a partir deste ano o órgão passou a “penalizar” os automóveis que não contam com o controle eletrônico de estabilidade em todas as versões, equipamento que no caso do compacto da Peugeot está disponível somente na versão esportiva GT. Por este razão, a pontuação máxima que o 208 poderia alcançar nesta fase de testes era de três estrelas na nota geral.

Kia Picanto

O Latin NCAP avaliou também uma versão sem airbags do Kia Picanto, inexistente no Brasil mas que ainda é oferecida em outros países da América Latina. O compacto coreano zerou na proteção para aduntos e obteve apenas uma estrela na proteção das crianças. Apesar da carroceria ter sido apontada como “estável” nas avaliações, a ausência das bolsas infláveis poderia resultar em risco de ferimentos graves para a cabeça e o peito do condutor.

Confira a seguir os vídeos dos testes com os dois modelos:

Veja também

+ Fiat faz desconto em toda a linha; preço do Toro cai R$ 32 mil
+ Acesso de fúria de macaco deixa um homem morto e 250 pessoas feridas na Índia
+ Risco de casos graves de Covid é 45% maior em pessoas com sangue do tipo A, segundo pesquisadores europeus,
+ Aprenda a fazer o brigadeiro de paçoca de Ana Maria Braga