Peugeot e-208 GT é exibido antes do lançamento; Confira o teste rápido

0
17
Foto: Divulgação

A Stellantis exibe o Peugeot e-208 GT na 16ª edição do Veículo Elétrico Latino Americano – Salão da Mobilidade Elétrica e Cidades Inteligentes -, que ocorre entre 23 e 25 de setembro, na Praça Charles Miller, no estádio do Pacaembu, em São Paulo.

O modelo é inédito no Brasil e será lançado de forma oficial no dia 28 de setembro, por meio de uma live que dará início a sua comercialização. O vídeo será exibido no YouTube.


+ Avaliação: Peugeot 3008 é um SUV duplamente injustiçado
+ Novo Jeep Renegade deve ter base do Peugeot 208; “Baby Renegade” sobe no telhado

Foto: Divulgação

O elétrico, na verdade, foi apresentado junto com o novo Peugeot 208 no ano passado. No entanto, era possível apenas encomendar o modelo, que tinha entregas previstas para este ano. Outro detalhe era que o carro tinha outra nomenclatura: “Peugeot 208 e-GT”.

O fato é que a Peugeot mudou o nome do elétrico e, agora, vai lançar de vez. O modelo vai tomar o lugar dos esportivos GT/GTI.

Com autonomia de 340 km, ele tem 136 cv e 26,5 kgfm de torque para acelerar de 0-100 km/h em 8 segundos.

O novo Peugeot e-208 GT pode ser carregado em tomadas convencionais ou carregadores rápidos. É possível carregar 80% da bateria em 30 minutos, dependendo do nível de carga e tipo do carregador, segundo a Peugeot.

Veja abaixo o teste rápido realizado pelo editor da Motor Show, Flavio Silveira, em 2020:

Na falta de um motor turbo no novo 208 nacional, a Peugeot trouxe o elétrico 208 e-GT. A cabine é ainda melhor que a do modelo nacional, com itens que foram cortados aqui nele, como o freio de mão elétrico, os filetes de LED na iluminação interna e os bancos com aquecimento, e mais atalhos junto aos “toggle switches” no painel para facilitar a vida do motorista. Com pegada esportiva, o e-GT é o novo GTI.

São 136 cv de potência, o que pode parecer pouco, mas o torque é de 26,5 kgfm, e com entrega sempre instantânea – suficiente para um 0-100 km/h em apenas 8 segundos.

Tivemos uma rápida experiência com ele na pista do Haras Tuiuti, interior de SP. Os ajustes de banco e volante são mais amplos, e, depois de ajustá-los, sem querer desliguei o carro (estava ligado, mas não faz barulho…).

Depois de uma volta rápida na pista com o 208 a combustão, o e-GT mostrou seu brilho. Há três modos de condução – o Eco aumenta freio motor/recuperação de energia e permitiu dar uma volta sem pisar no freio (e a autonomia chega a 340 km). Mas o que mais interessa, claro, é o Sport.

Apesar de mais pesado, o Peugeot 208 e-GT anda muito mais, pela potência e torque extras, e também é muito mais na mão. Isso porque as baterias ficam debaixo do assoalho, bem no centro do carro. Como resultado, você pode acelerar sem dó e entrar nas curvas como um louco, que o carro – desculpem o clichê – parece estar preso a trilhos na pista. Centro de gravidade é tudo!

Como resultado, você pode acelerar sem dó e entrar nas curvas como um louco, que o carro – desculpem o clichê – parece estar preso a trilhos na pista. Centro de gravidade é tudo!