Piquet se desculpa após repercussão de fala racista sobre Hamilton

O ex-piloto explica o termo que foi utilizado e repudia qualquer tipo de racismo

0
43
Foto: Reprodução/Facebook Piquet

Nesta quarta-feira (29), Nelson Piquet se desculpou após a repercussão de uma expressão racista utilizada pelo ex-piloto brasileiro ao se referir a Lewis Hamilton.

Em nota divulgada à imprensa, Piquet explica o termo que foi utilizado e repudia qualquer tipo de racismo.

+ Piquet chama Hamilton de ‘neguinho’ e é repudiado por Mercedes e F1
+ GP do Canadá de F1: Verstappen ganha e Hamilton volta ao pódio
+ GP da Inglaterra: veja os horários e onde assistir a corrida em Silverstone
+ Hamilton: Câmara concede título de cidadão honorário do Brasil ao piloto


“O que eu disse foi mal pensado, e não defendo isso, mas vou esclarecer que o termo usado é aquele que tem sido amplamente e historicamente usado coloquialmente no português brasileiro como sinônimo de ‘cara’ ou ‘pessoa’ e foi nunca teve a intenção de ofender”.

E completa: “peço desculpas de todo o coração a todos que foram afetados, incluindo Lewis, que é um piloto incrível, mas a tradução em algumas mídias que agora circulam nas redes sociais não está correta. A discriminação não tem lugar na F1 ou na sociedade e estou feliz em esclarecer meus pensamentos a esse respeito”.

Entenda o caso

Nelson Piquet chamou Lewis Hamilton de “neguinho” durante uma entrevista realizada em novembro do ano passado pelo Canal Enerto, especializado em Fórmula 1.

O fato é que recentemente foi postado um corte no YouTube e iniciou a repercussão pela expressão racista utilizada pelo brasileiro.

No trecho, Piquet criticava Hamilton por não ter tirado o pé na curva Copse, em Silverstone, na disputa com Verstappen.

Veja abaixo a nota de Piquet na íntegra:

“Gostaria de esclarecer as histórias que circulam na mídia sobre um comentário que fiz em uma entrevista no ano passado.

O que eu disse foi mal pensado, e não defendo isso, mas vou esclarecer que o termo usado é aquele que tem sido amplamente e historicamente usado coloquialmente no português brasileiro como sinônimo de ‘cara’ ou ‘pessoa’ e foi nunca teve a intenção de ofender.

Eu nunca usaria a palavra da qual fui acusado em algumas traduções. Condeno veementemente qualquer sugestão de que a palavra tenha sido usada por mim com o objetivo de menosprezar um piloto por causa de sua cor de pele.