Pneus mal calibrados rendem prejuízo de 55 litros de gasolina em 1 ano

Pesquisa revela que 34% dos motoristas estão com a pressão incorreta

0
1
Foto: Divulgação

O preço dos combustíveis está em recorrente alta. Por isso, uma das medidas de economia (e também de segurança) para os motoristas é mantê-los calibrados.

Não parece, mas manter a calibragem correta dos pneus impacta diretamente na economia de combustível, pois faz com que a resistência ao rolamento seja minimizada. Ela também ajuda a prolongar a vida útil do pneu além de deixá-los menos susceptíveis a danos por impactos.

+ Gasolina chega a custar quase R$ 9; veja onde está mais caro e barato
+ Gasolina cara? BMW iX5 a hidrogênio está em testes no círculo ártico
+ General Tire lança pneu voltado para SUV
+ Dunlop terá pneus para carros elétricos e mais eficientes em 2022
+ Pneu que não fura: Michelin tem data marcada para lançar modelo


Pneus mal calibrados = mais consumo

Uma pesquisa promovida pela Continental, fabricante de pneus, coletou dados de 14 mil pneus em 100 postos das cidades de São Paulo e Jundiaí. Desse total, 34% estavam com a pressão incorreta.

Para se ter uma ideia do que essa deflação pode significar no bolso motorista, se a pressão dos pneus estiver apenas 3,0 psi (ou libras) abaixo do indicado pelo fabricante o consumo de combustível subirá 2%. Supondo que um veículo rode 30.000 km em um ano com calibragem abaixo da recomendada, o prejuízo para o motorista pode chegar a um tanque de 55 litros.

“A pressão insuficiente impede que a banda de rodagem tenha um contato total com a pista, exigindo mais dos ombros do pneu. Nesse cenário, a distância de frenagem é maior, prejudicando inclusive o controle sobre a direção. Além disso, a baixa calibragem demandará que o motorista pise mais no acelerador para que o carro mantenha a mesma velocidade, o que aumenta o consumo de combustível”, explica Rafael Astolfi, gerente de Assistência Técnica da Continental Pneus, em nota divulgada.

Confira abaixo 6 maneiras para cuidar dos pneus e economizar no combustível:

1 – Monitore a pressão regularmente. Os pneus devem ser sempre calibrados quinzenalmente ainda frios, ou seja, veículo deve estar parado há pelo menos uma hora ou não deve ter rodado mais de 3 km em velocidade reduzida. A pressão de inflação aumenta (em climas quentes) ou diminui (em climas frios) ente 1 e 2 psi para cada 10 graus de oscilação de temperatura.

2 – Um pneu que durante a calibragem apresente com frequência uma pressão inferior aos demais pode estar furado, montado em uma roda amassada ou trincada ou com sua válvula apresentando vazamentos. Fique atento.

3 – Nunca infle demais os pneus. Dirigir com pneus inflados demais reduz a dirigibilidade.

4 – Não acelere demais. Busque manter sua velocidade constante sempre que possível Dirija de forma segura.

5 – Motoristas agressivos tendem a usar mais gasolina porque geralmente precisam desacelerar e acelerar repetidamente.

6 – Faça a manutenção do seu carro regularmente.

MAIS NA MOTOR SHOW:

+ Aluguel de bicicletas elétricas: empresa lança serviço; veja os preços
+ Comparativo de SUVs: Jeep Compass vs. VW Taos e Toyota Corolla Cross
+ Qual é a melhor versão do Jeep Compass 2022?
+ Nova Montana: 3ª geração da picape da Chevrolet chega em 2023; assista
+ Leilão de clássicos: lista conta com Chev C10 e Ford 1929
+ Carro por assinatura vale a pena? Confira um guia completo com preços, vantagens e desvantagens
+ Ram lança a luxuosa picape 3500 no Brasil; confira as versões e preços
+ Peugeot insere tecnologia de impressão 3D no 308
+ Motorista de ônibus bêbado que transportava 29 passageiros é autuado pela PRF
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Shineray lança a motocicleta elétrica SHE S no Brasil; conheça
+ IPVA SP 2022: 3ª parcela vence em abril; confira as datas