Poderia oferecer mais

HONDA ACCORD V6

R$ 144.500

A primeira impressão que tive do Accord V6 foi excelente. Para mim, esta oitava geração é, sem dúvida, a mais bonita de todas. Avaliando a ficha técnica, a impressão foi igualmente boa e dois dados me chamaram atenção em particular. O primeiro foi em relação às medidas (o carro cresceu saudáveis 12 cm no comprimento!) e o segundo, em relação ao propulsor.

O novo motor V6 de 3.5 litros oferece 278 cv de potência (38 cv a mais que a unidade anterior) e tem o plus de funcionar com 3, 4 ou todos os cilindros, dependendo da utilização. Trata-se da segunda geração de uma tecnologia, chamada VCM (antes ela desligava apenas dois cilindros), que atua no comando de válvulas e na injeção de combustível para anular a atuação dos cilindros e garantir menor consumo.

A bordo, a boa impressão se confirma. O carro é uma verdadeira sala de estar. Tem espaço de sobra para as pernas e, se os passageiros de trás assim preferirem, podem nem se tocar. O desempenho do propulsor é muito bom e, aliado ao eficiente câmbio automático, garante até doses de diversão. A atuação do VCM é imperceptível e as vibrações foram bem contornadas pela nova coxinação desenvolvida pela marca. Além disso, ao contrário do que possa parecer, as reações da grandalhona carroceria também não deixam a desejar. Não é um típico carro de “tiozão”.

O acabamento também é impecável e a ergonomia, tipicamente Honda. Mas, apesar dos pontos positivos, o carro me decepcionou. A desilusão começou quando tentei colocar um carrinho de bebê no porta-malas. Além de ser pequeno para o porte do carro (396 litros), o acesso é restrito,complicando o transporte de objetos maiores. Fora isso, faltam itens de conforto. Há sensores de luminosidade, chuva, piloto automático e difusores de ar traseiros, mas, pelo preço, faltam sensor de estacionamento e computador de bordo.

Sinceramente, mesmo tendo gostado bastante do carro, eu provavelmente não compraria essa versão top. Achei R$ 144,5 mil um valor alto demais.

CONTRAPONTO

Concordo com o que a Flávia disse sobre o motor do Accord V6: vai ao encontro da nova perspectiva mundial de redução de poluentes e consumo, e serve de exemplo para as outras montadoras de como se fazer um carro econômico, mas que, quando exigido, se transforma em uma “fera”. E o espaço interno, como disse a Flávia, é surpreendente. Mas tenho que discordar com relação ao comportamento dinâmico: para mim, o acerto da suspensão é extremamente confortável, mas mole demais, principalmente em mudanças bruscas de trajetória. Outro ponto que me incomodou neste Honda, apesar do excelente isolamento acústico (que não deixa ouvir o motor) e do excelente acabamento (não há ruídos internos), foi o ruído das rodas dianteiras no asfalto, mais alto do que deveria. Não chega a incomodar, mas os concorrentes são melhores. O design também ficou ótimo, está entre os melhores do segmento. Prometi para mim mesmo que não ia mais citar o Azera, mas, não se esqueça que ele custa R$ 90 mil….

Flávio R. Silveira | Repórter

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar