Por dentro da Iran Khodro, a marca nacional do Irã

Após o fim das sanções econômicas contra o Irã, a Peugeot anunciou a formação de uma joint venture com a montadora local Iran Khodro. Com a sociedade, a marca espera investir até 400 milhões de euros na empresa iraniana nos próximos cinco anos, permitindo assim a produção de modelos modernos da marca francesa, como os 208, 2008 e o sedã de baixo custo 301.

Fundada em 1966, como Iran National, a empresa foi nacionalizada em 1980, após a revolução Islâmica que derrubou a monarquia e instaurou um regime teocrático no país. Atualmente, a Iran Khodro é uma empresa de capital misto. Além do mercado local, a marca exporta carros para outros países da Ásia e Oriente Médio e produz automóveis na Venezuela, em parceria com o governo local.

A linha atual de veículos da empresa é bem curiosa: uma combinação de modelos um pouco mais atuais (Suzuki Grand Vitara e o Renault Logan de primeira geração), com projetos Peugeot dos anos 1990 (206 e o 207 brasileiro) e outros carros desenvolvidos localmente, combinando componentes antigos da marca francesa com peças projetadas no país. (confira no álbum alguns dos carros mais curiosos da empresa).

A previsão é que os primeiros Peugeot modernos saiam da fábrica iraniana no segundo semestre de 2017. Até 2022, a previsão é que o mercado automotivo local atinja a marca de 2 milhões de veículos comercializados por ano.

Veja também

+ Fiat faz desconto em toda a linha; preço do Toro cai R$ 32 mil
+ Acesso de fúria de macaco deixa um homem morto e 250 pessoas feridas na Índia
+ Risco de casos graves de Covid é 45% maior em pessoas com sangue do tipo A, segundo pesquisadores europeus,
+ Aprenda a fazer o brigadeiro de paçoca de Ana Maria Braga