CEO do Grupo VW renuncia após escândalo dos motores

0
470
A princípio, mandato de Winterkorn seria prorrogado até 2018 (Foto: Volkswagen)

O CEO do Grupo Volkswagen, Martin Winterkorn, anunciou nesta quarta-feira (23) a sua renúncia, após a empresa ter assumido que 11 milhões de veículos foram equipados com motores diesel adulterados para burlar as normas antipoluição. O comitê executivo do grupo irá se reunir na sexta-feira (25) para definir o novo presidente.

“Estou consternado pelos acontecimentos dos últimos dias. Estou chocado com o fato de que condutas impróprias tenham ocorrido em tal escala dentro Grupo Volkswagen”, pontuou Winterkorn, em comunicado.


Ainda nesta quarta-feira, a justiça alemã anunciou que abriu uma investigação para apurar o caso, que teve início nos Estados Unidos. Além dos Volkswagen, carros fabricados por outras empresas do grupo, como a Audi, Skoda e Seat, também foram equipados com o software fraudador utilizado nos motores diesel da família EA 189.

Ao detectar que o carro estava em testes de emissões, a unidade de controle do motor era capaz de alterar a sua programação para priorizar o controle de poluição. Com isso, nas ruas, os carros eram mais poluentes do que exposto nos números oficiais.