Primeiras impressões: Peugeot 2008 ganha plástica em boa hora

Nova dianteira, mudanças no interior e uma inédita opção automática turbo para tentar melhorar seu desempenho no segmento mais disputado do mercado

Após certo tempo de estrada, o Peugeot 2008 chega ao seu primeiro facelift para tentar melhorar o resultado de vendas no difícil segmento, no qual encara rivais como Volkswagen T-Cross, Jeep Renegade, Honda HR-V e cia.

A plástica não foi igual à européia. Traz novo para-choque, grade do radiador maior com elementos tridimensionais substituindo as barras longitudinais, emblema do leão centralizado e acabamento em preto brilhante. Outras novidades estão no capô mais alto, e no desenho das rodas aro 16, enquanto os apliques plásticos da carroceria, que vinham só nas versões Griffe e Crossway, passam a ser de série em todas as versões. Na traseira, que já era bem acertada, foram preservadas as lanternas e o para-choque saliente dotado das luzes de ré e de neblina.

Embora menor que os rivais, principalmente Jeep Renegade e Honda HR-V, há uma sensação de amplitude da cabine, talvez por causa do teto panorâmico. Todas as configurações têm quatro airbags (frontais e laterais), piloto automático, e freio a disco nas quatro rodas – item de segurança não encontrado no Nissan Kicks e no Hyundai Creta 1.6. Os preços partem de R$ 69.990, em uma gama formada pelas versões Allure, Allure Pack, Griffe AT e Griffe THP (confira aqui).

Avaliamos o 2008 Griffe com motor 1.6 EC5 VTI aspirado com 118 cv a 5.750 rpm de potência e 16,1 kgfm a 4.750 rpm de torque, associado ao conhecido câmbio automático Aisin de seis velocidades. O desempenho do Peugeot é “ok”. Não é nenhum rojão, mas anda com desenvoltura e conforto com o bom trabalho da transmissão. Já na estrada, o menor fôlego exige pisar mais fundo no acelerador em ultrapassagens.

Embora o câmbio esteja bem casado ao motor 1.6, às vezes ele “titubeia” nas reduções, como de quarta para terceira. O novo acerto da direção e das suspensões, nem firmes nem macias demais, e bastante robustas, melhoraram a dirigibilidade do 2008, principalmente em curvas, com pouca inclinação de carroceria.

No frigir dos ovos, o Peugeot continua sendo uma boa opção de compra e agora tem mais argumentos para encarar não apenas os concorrentes diretos do segmento, como para agradar aos consumidores que procuram um SUV bom ao volante.

FICHA TÉCNICA

Peugeot 2008 Griffe AT
Preço básico: R$ 69.990
Carro avaliado: R$ 89.990
Motor: 4 cilindros em linha 1.6, 16V, variador de fase na admissão
Cilindrada: 1587 cm3
Combustível: flex
Potência: 115 cv (g) e 118 cv a 5.750 rpm (e)
Torque: 16,1 kgfm a 4.00 rpm (g) e 16,1 kgfm a 4.750 rpm (e)
Câmbio: automático sequencial, seis marchas
Direção: elétrica
Suspensão: MacPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e disco sólido (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,159 m (c), 1,739 m (l), 1,583 m (a)
Entre-eixos: 2,542 m
Pneus: 205/60 R16
Porta-malas: 355 litros
Tanque: 55 litros
Peso: 1.248 kg
0-100 km/h: 11s9
Velocidade máxima: 186 km/h
Consumo cidade: 10,7 km/l (g) e 7,5 km/l (e)
Consumo estrada: 13 km/l (g) 9,2 km/l (e)
Nota do Inmetro: C
Classificação na categoria: C (utilitário esportivo compacto)