Produção de motocicletas cai 98% em abril

Com fábricas paradas, só 1.479 unidades saíram das linhas de montagem

Produção de motocicletas caiu 98% em abril, informa a Abraciclo. Foto: Tãnia Rêgo/Agência Brasil
Produção de motocicletas caiu 98% em abril, informa a Abraciclo. Foto: Tãnia Rêgo/Agência Brasil

A indústria brasileira viu a produção de motocicletas cair 98% em abril deste ano, informoua Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo). Foram produzidas apenas 1.479 unidades no último mês Esse volume representa queda de 98,4% na comparação com o resultado do mesmo mês de 2019 (91.226 unidades).

+ Como cuidar da moto parada durante quarentena
+ Coronavírus: motoboys estão preocupados com contágio
+ Solo, o curioso carro pra uma pessoa, tem sua chance na pandemia

No acumulado de janeiro a abril, foram fabricadas 299.078 motocicletas, com redução de 18,7% na comparação com o primeiro quadrimestre do ano passado (367.986 unidades). A queda na produção de motocicletas também atingiu a marca de 98% no comparativo a março de 2020, qdop foram entregues 102.865 unidades.

“A produção do segmento ficou praticamente estagnada em abril, já que 70% das fábricas de motocicletas paralisaram suas atividades produtivas como medida de prevenção e segurança de seus colaboradores diante da pandemia da covid-19”, afirmou o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian.

No início de maio, metade das fábricas de motocicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus já tinha voltado a funcionar, adotando medidas preventivas para segurança dos colaboradores, tais como medição de temperatura na entrada, alteração do layout produtivo, de forma a ampliar o espaço físico entre os trabalhadores, mudanças no sistema de ônibus fretado para assegurar o distanciamento entre os passageiros, fornecimento de máscara de proteção e álcool em gel 70%. Além disso, todas contam com ambulatório médico pronto para prestar qualquer tipo de atendimento aos colaboradores.

Fermanian disse que, devido ao cenário atual, as projeções para 2020 do segmento de motocicletas serão revistas. “Não resta dúvida de que os resultados do segmento serão impactados pela pandemia da covid-19. Por isso, iniciaremos agora um processo de revisão dos números.”

Ele chamou a atenção para a situação das fabricantes de motocicletas, bem como de seus parceiros do varejo, que sentiram fortemente a súbita paralisação das atividades de um modo geral e necessitam do apoio de medidas governamentais que aliviem as dificuldades de caixa das empresas.

“Estamos apresentando pleitos referentes às necessidades operacionais e econômicas mais urgentes das fabricantes de motocicletas e das parceiras que atuam no varejo para os governos federal, estadual e municipal.” Segundo Fermanian, o andamento está em diversos estágios, inclusive com a marcação de reuniões por videoconferência.

“O segmento de motocicletas precisa que a interface no varejo volte a funcionar plenamente, considerando-se, obviamente, os cuidados de prevenção necessários como uso de máscaras, distanciamento físico e higienização das mãos com álcool em gel, além da adoção de entregas e serviços específicos com hora marcada”, ressaltou o presidente da Abraciclo.

Vendas no atacado
A queda de 98% na produção de motocicletas afetou diretamente o varejo. No mês passado, as fábricas repassaram às concessionárias 5.173 motocicletas, o que representa redução de 94,3% no comparativo com abril de 2019, quando o total foi de 90.293 unidades, e de 94,4% ante março, com 92.900 unidades.

No acumulado de 2020, as vendas no atacado somaram 282.575 unidades, correspondendo a uma queda de 21,7% na comparação com o primeiro quadrimestre do ano passado (361.017 unidades).

Emplacamentos
Acompanhando o cenário registrado na produção e nas vendas ao atacado como consequência da pandemia da covid-19, os emplacamentos também tiveram queda acentuada em abril. Segundo levantamento do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam) analisado pela Abraciclo, foram licenciadas 28.246 motocicletas, significando recuo de 69,7% na comparação com o mesmo mês de 2019 (93.370 unidades) e de 62,5% em relação a março do presente ano (75.372 unidades).

A média diária de vendas foi de 1.345 unidades, em 21 dias úteis, no pior resultado para o meses de abril desde 2003 (3.339 unidades). Na comparação com o mesmo mês do ano passado, houve queda de 69,7% (4.446 unidades/dia, em 21 dias úteis). Em relação a março, a retração foi de 60,7% (3.426 unidades/dia, em 22 dias úteis).

Os períodos de funcionamento disforme das concessionárias e dos departamentos de trânsito (Detrans) nos estados pelo país afora, ao longo de abril, causaram variações atípicas nos números de licenciamento. Um exemplo dessa situação foi o volume de emplacamentos no estado de São Paulo, tradicionalmente o maior mercado do Brasil: foram emplacadas em abril somente 291 motocicletas, ou cerca de três vezes menos do que o de Sergipe, que emplacou 1.036 motocicletas. O mercado paulista ficou atrás também do Acre, com 483, e Alagoas, com 388 emplacamentos.

O ranking de licenciamentos por estado foi liderado em abril por Minas Gerais (4.361 unidades), seguido por Bahia (3.803), Pará (2.379), Santa Catarina (2.246) e Mato Grosso (1.899).

Em Santa Catarina, onde as concessionárias estavam liberadas para vendas, o volume de emplacamentos cresceu 9% em abril, em plena crise do novo coronavírus, ante março, quando a pandemia ainda estava começando a ser anunciada.

Kits de higiene
Participando ativamente do combate à covid-19, no mês passado, a Abraciclo doou mil kits de higienização para motofretistas do estado de São Paulo e para suas famílias. A iniciativa ocorreu em parceria com o Sindimoto/SP. O kit é composto por máscaras laváveis e frascos de álcool em gel 70%, além de sachês de álcool 70% para limpeza de celulares.

Marcos Fermanian cumprimentou toda a categoria dos motofretistas pelo “trabalho corajoso, dedicado e imprescindível” realizado por meio dos serviços de entrega de alimentos e medicamentos e de outros produtos de necessidade à população que cumpre medidas de confinamento em casa, para evitar o contágio pelo novo coronavírus.

Veja também

+ Fiat faz desconto em toda a linha; preço do Toro cai R$ 32 mil
+ Acesso de fúria de macaco deixa um homem morto e 250 pessoas feridas na Índia
+ Risco de casos graves de Covid é 45% maior em pessoas com sangue do tipo A, segundo pesquisadores europeus,
+ Aprenda a fazer o brigadeiro de paçoca de Ana Maria Braga