Punto Turbo: PILOTAMOS O PROTÓTIPO NACIONAL


FIAT PUNTO TURBO R$ 62 MIL (ESTIMADO)

À esquerda, detalhes do pára-choque traseiro e do aerofólio, cujo visual partiu da versão 1.8 Sporting já vendida aqui. À direita, as pedaleiras esportivas e o terceiro pedal, todos cromados

A Fiat ainda não confirmou oficialmente, mas o Punto Turbo será mesmo lançado no Salão do Automóvel, no final de outubro. MOTOR SHOW avaliou um protótipo da nova versão esportiva do hatch. O carro foi disponibilizado para que, com esta pré-avaliação, pudéssemos sentir como ficará o novo esportivo, seu comportamento dinâmico, as reações de resposta do motor com o nosso combustível, a performance do sistema de freios sob condições mais severas e suas reações dinâmicas, em curvas e frenagens, com a nova calibragem da suspensão: enfim, uma apresentação do que vem por aí. O local escolhido não poderia ser mais adequado: o Autódromo de Interlagos.

A montagem do protótipo não foi complicada: os técnicos partiram da versão Sporting e montaram nele o conjunto motor/câmbio do Punto Abarth italiano, com motor 1.4 16V turbo de 155 cv e torque máximo de 21 kgfm. Uma curiosidade é que a versão nacional não tem, e não terá, o “sport boost”, recurso do modelo italiano que, por meio de um botão, ativa um aumento momentâneo de pressão do turbo, elevando o torque para 23,5 kgfm, melhorando arrancadas e retomadas sem comprometer a vida útil do motor. Mas aqui ele utilizará motor/câmbio importados da Itália e, como nossa gasolina não tem qualidade garantida, os técnicos preferiram não arriscar: não haverá o “sport boost”. Talvez a utilização de álcool fosse uma solução, obtendo-se mais potência e torque sem alterar a pressão de turbo original. Mas, neste caso, o alto custo da calibração do motor com álcool foi o entrave, já que a marca acredita que não terá um volume de vendas que valha o investimento.

Embora o protótipo tenha as rodas do Stilo, na versão nacional elas devem ter desenho parecido com as do modelo europeu

Claro que, com um desempenho marcante (o Punto italiano vai de 0 a 100 km/h em 8,2 segundos e chega a 208 km/h), o retrabalho no sistema de suspensão e no conjunto roda/pneu/freio é fundamental. Usaram todo o sistema de freios do Stilo, com discos ventilados e pinças maiores na dianteira e disco sólido na traseira, em vez dos tambores originais do Punto. No protótipo que avaliamos, os técnicos instalaram as rodas aro 17 e pneus 205/50 R17, também do Stilo.

No exterior, as rodas maiores chamam a atenção. No modelo brasileiro elas serão personalizadas, mas mantendo o aro 17 e a medida do pneu do protótipo. Em nossos testes, as mudanças mostraram-se bastante suficientes para a performance oferecida pelo motor. Mesmo exigidos ao máximo, os freios não indicaram tendência ao fading pelo excesso de temperatura e os pneus mostraram-se suficientes nas frenagens e curvas. As novas molas, com carga 20% superior ao Punto original, e os amortecedores mais firmes caíram sob medida no Punto Turbo (esse deverá ser seu nome), sem comprometer em demasia o conforto ao rodar. Um produto bem interessante, que deverá agitar bastante o mercado de esportivos nacionais.

A porta tem detalhes em vermelho, como no Sporting, e o painel de instrumentos tem design exclusivo. À direita, o volante com controle do som, telefone e ativação de comandos de voz

COMPARTILHAR
Notícia anteriorEngatou a sexta
Próxima notíciaPoderia oferecer mais