Qualidade japonesa e preço atraente

Conta-giros e velocímetro agora têm nova gra a e, na extremidade dos ponteiros, uma luz vermelha. A tela de som mostra imagens da câmera de ré nas manobras

Com a intenção de atrair mais o público jovem e desatrelar um pouco a imagem de carro para motoristas mais velhos, na época do lançamento desta última geração do Sentra no Brasil a marca veiculou um jingle cujo refrão dizia que o sedã não tinha cara de “tiozão”. Como produto, de fato ele não é atraente só para os mais experientes, mas também para os jovens. A linha 2011 tem como novidades mais itens de série na versão de entrada ( computador de bordo e sistema de áudio com MP3 e conexão para iPod). Mesmo com estes equipamentos extras, seu preço continua em R$ 54.990. Mas o maior destaque está na con guração top, SL, que recebeu câmera de ré com visor de 4.3” no console central e teve seu preço reduzido em R$ 1.700.

Com motor 2.0 de 143 cv, o sedã tem câmbio automático CVT (continuamente variável), uma das melhores transmissões do mercado: as trocas são imperceptíveis e o carro ganha – e muito – em agilidade. Para ser mais objetivo, é mais ou menos como uma scooter – como se nunca mudasse de marcha. No geral, seu desempenho é excelente, pois o motor garante boa performance tanto na cidade quanto na estrada. Sua suspensão é macia e passa pouco das imperfeições do piso para os ocupantes, mas mesmo assim não deixa o motorista na mão quando abusa nas curvas.

Internamente o carro não tem um design tão arrojado como alguns concorrentes mais “moderninhos”, como Honda Civic e C4 Pallas, mas oferece bastante espaço para todos os ocupantes e tem boa ergonomia e acesso ao câmbio e controles. A única característiva negativa é a ausência do ajuste de profundidade do volante. Seu portamalas, de 442 litros, poderia ser maior, mas supera com grande vantagem os 320 litros do Civic. Porém, fica em desvantagem se comparado aos bagageiros de outros modelos, como Corolla, Vectra, C4 Pallas e 207 Sedan, todos na casa dos 500 litros ou mais.

A configuração SL, além de oferecer a nova câmera de ré, vem de série com freios ABS com distribuição eletrônica de frenagem, bancos de couro, chave inteligente (permite ligar o veículo sem tirá-la do bolso), teto solar e airbags frontais, laterais e de cortina. Para ficar mais completo, só faltou o ar-condicionado digital. Seu preço sugerido é de R$ 71.290, um valor bastante competitivo. Para se ter uma ideia, Civic e Corolla equivalentes passam dos R$ 80 mil.

Concorrentes

COROLLA ALTIS 2.0 FLEX R$ 87.000

CIVIC EXS 1.8 FLEX 16V AUT R$ 86.025

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar



COMPARTILHAR
Notícia anteriorTecnologia das pistas para a rua
Próxima notíciaContato