Quando o SUV mudou de sexo? Na verdade, não mudou

Cada vez mais gente chama os SUVs de "as SUVs". Por que mudaram o gênero dos utilitários esportivos, não sei bem. Saudades das peruas de quem tomaram o lugar?

Foto: Divulgação

O SUV ou a SUV? Afinal, SUV tem sexo, ou gênero? Qual é? Cada vez mais (muito mais), as pessoas têm chamado chamado os SUVs de “as SUVs”. “Minha Tiguan está gastando muito.” “Comprei uma Equinox que anda demais.” “Eu tinha uma Outlander.” Ou, ainda, “Estou vendendo uma Compass”. Na verdade, o Compass ainda passa menos por isso, porque é um GPV/”jeep”/jipe. Mas, ainda assim, está cheio de “minha Compass” nas redes sociais.

Até mesmo em propaganda oficial de concessionária (acima) e em comunicado de assessoria de imprensa já vi nome do SUV tratado no feminino. Mas, afinal, quando foi que o SUV mudou de sexo?

Origem

The SUV. O SUV. The Sport-Utility Vehicle. O veículo utilitário-esportivo. Ou até o suve, como chamam os autoentusiastas. De qualquer forma, mesmo senso SUV, é o carro. O automóvel. O veículo. O veículo automotor. Tudo no sexo masculino.

Motivação?

Por que todos agora chamam um SUVs de uma SUV, eu realmente não sei. Seria saudades das peruas? Porque, afinal, é o que eles (e não “elas”) são. Já faz tempo que os SUVs são as “novas peruas”. Leia mais aqui.

Aí tem o SUV-cupê. Mistura de UM suv com UM cupê. O Nivus. Esse, por enquanto, ficou como o Nivus, mas talvez até porque, nos fóruns e grupos onde “as SUVs” dominou, o Nivus é tratado pela maioria como um crossover.

Tem carro que é feminino, sim senhor

Mas, é claro, tem muito veículo que é “a”, sim senhor.

Para começar, a Ferrari. Ok. Não vou discutir. É errado, mas até nós, jornalistas automotivos, na maioria nós sabemos que seria o Ferrari, mas usamos “a” mesmo assim. Uma “licença poética” para a macchina, do italiano.

Tem a picape, também chamada de a caminhonete. São veículos, também, mas aí o “a” se justifica, é uma figura de linguagem, mesmo que a palavra picape esteja omitida. A S10. A Amarok. A Ranger.

Tem também a perua. Cada vez menos, mas tem. Mesmo caso acima. Então tivemos a Elba, que usou a derrubar o Collor. Tem a RS6? Aí eu já não sei. E a perua, mas pode ser o esportivo. Eu uso a RS6. Mas aceito o RS6. Seria um carro não-binário?

As minivans também já dominaram nosso mercado. E, pela mesma regra, também são “as”. A Renault Scenic, mas a da Citroën era normalmente chamada de “o” Picasso, porque… Pablo.

Ainda tem, é claro, a viatura (aqui, diferentemente do que ocorre em Portugal, usamos só para os carros de polícia). E a ambulância.

Mas não “a SUV”, por favor. Porque, sem querer forçar convenções, o SUV não mudou de sexo. Sempre foi masculino e continua sendo.

Veja também

+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA

+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA

+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar